Mercado fechará em 6 horas 1 minuto
  • BOVESPA

    102.814,03
    +589,77 (+0,58%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.796,30
    +303,78 (+0,61%)
     
  • PETROLEO CRU

    68,08
    -1,87 (-2,67%)
     
  • OURO

    1.794,20
    +9,00 (+0,50%)
     
  • BTC-USD

    57.920,98
    +944,64 (+1,66%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.471,33
    +42,40 (+2,97%)
     
  • S&P500

    4.655,27
    +60,65 (+1,32%)
     
  • DOW JONES

    35.135,94
    +236,60 (+0,68%)
     
  • FTSE

    7.054,30
    -55,65 (-0,78%)
     
  • HANG SENG

    23.475,26
    -376,98 (-1,58%)
     
  • NIKKEI

    27.821,76
    -462,16 (-1,63%)
     
  • NASDAQ

    16.306,50
    -84,25 (-0,51%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3594
    +0,0302 (+0,48%)
     

Facebook pode pagar até R$ 280 mil para criadores usarem sua cópia do Clubhouse

·2 min de leitura

A Meta anunciou que pretende pagar até US$ 50 mil (cerca de R$ 280 mil) aos criadores de conteúdo que toparem usar o recurso Live Audio Rooms (Salas de Áudio Ao Vivo) da plataforma, a solução da companhia para rivalizar com o Clubhouse e o Twitter Spaces. A ideia é gastar parte do US$ 1 bilhão reservado para criadores de conteúdo até o fim de 2022 com a remuneração para incentivar o uso da solução de bate-papo por áudio da companhia.

Essa é uma estratégia já conhecida em outras mídias, como no TikTok e agora no Instagram. Ambos pagam criadores pelo conteúdo de sucesso produzido. No caso do Instagram, por exemplo, usuários do Reels podem lucrar entre US$ 600 (cerca de R$ 3,2 mil) e US$ 8,5 mil (cerca de R$ 46 mil) para postar no formato de vídeos curtos.

O <a class="link rapid-noclick-resp" href="https://canaltech.com.br/empresa/facebook/" rel="nofollow noopener" target="_blank" data-ylk="slk:Facebook">Facebook</a> aposta pesado nos recursos de áudio para fazer a plataforma bombar novamente (Imagem: Divulgação/Facebook)
O Facebook aposta pesado nos recursos de áudio para fazer a plataforma bombar novamente (Imagem: Divulgação/Facebook)

Com valores ainda maiores, parece que o Facebook realmente aposta nas transmissões de áudio como o futuro das mídias sociais. A ideia é atrair famosos e músicos para receber algo entre US$ 10 mil e US$ 50 mil por sessão realizada, com ao menos 30 minutos de duração, exclusivamente pelo produto de áudio durante cinco meses. Segundo o site The Information, esse valor ainda pode crescer em até US$ 10 mil se a quantidade de convidados superar a expectativa.

Entre os nomes já estabelecidos no mercado que usaram o Live Audio Rooms estão a cantora Miley Cyrus e a comediante Sherry Cola, embora não haja relatos de que esses indivíduos tenham recebido para comparecer. As salas de bate-papo por voz foram lançadas em junho nos Estados Unidos junto com outras soluções voltadas para áudio, como podcasts, músicas e os Soundbites — pequenos trechos diários de conteúdos em áudio.

Dinheiro gera dinheiro

A prática de remunerar criadores é uma estratégia cada vez mais empregada por quase todas as redes sociais para atrair pessoas. O TikTok, por exemplo, tem um fundo destinado especificamente para isso, enquanto a Snap garante a transferência de recursos pelo programa Spotlight. O Twitter também apostou no áudio com um programa de aceleração pago para criadores de conteúdo no Espaços, medida que começa a ser seguida pelo Facebook agora.

Na briga pela audiência, a Meta é a concorrente com mais dinheiro para gastar em ações como essa, mas é uma das empresas com mais empecilhos pelo caminho. O conglomerado está no centro de discussões sobre o chamado Facebook Papers, envolve-se em polêmicas constantes sobre o uso de dados do usuário com publicidade que deteriora cada vez mais a visão do público sobre a companhia.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos