Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.227,09
    +94,56 (+0,09%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    42.412,47
    +211,88 (+0,50%)
     
  • PETROLEO CRU

    44,90
    -0,81 (-1,77%)
     
  • OURO

    1.812,50
    +1,30 (+0,07%)
     
  • BTC-USD

    17.115,63
    -863,55 (-4,80%)
     
  • CMC Crypto 200

    335,96
    -34,56 (-9,33%)
     
  • S&P500

    3.629,65
    -5,76 (-0,16%)
     
  • DOW JONES

    29.872,47
    -173,77 (-0,58%)
     
  • FTSE

    6.362,93
    -28,16 (-0,44%)
     
  • HANG SENG

    26.819,45
    +149,70 (+0,56%)
     
  • NIKKEI

    26.537,31
    +240,45 (+0,91%)
     
  • NASDAQ

    12.154,50
    +2,25 (+0,02%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3399
    +0,0022 (+0,03%)
     

Facebook pode estar prestes a lançar streaming de clipes musicais

Ramon de Souza
·2 minuto de leitura

O YouTube lucra milhões anualmente sendo a plataforma mais utilizada para a reprodução de clipes musicais. Ao que tudo indica, o Facebook se incomodou com esse monopólio e está prestes a fazer uma jogada ousada para tirar uma fatia desse bolo.

Citando fontes anônimas ligadas à empresa, o CNET afirma que a rede social está planejando iniciar uma sessão de streaming de videoclipes que poderá ser utilizada pelas páginas oficiais de quaisquer artistas, para que possam promover suas próprias obras.

A novidade — que, a priori, seria testada apenas nos Estados Unidos — seria lançada já no mês de agosto. Os administradores das páginas não teriam o trabalho de fazer o upload dos arquivos de vídeo ou sequer publicar links para plataformas externas; bastará ativar o recurso nas configurações para que uma aba específica de reprodução dos clipes seja adicionada automaticamente.

Vale lembrar que, nos EUA, artistas com contratos firmados com grandes gravadoras são proibidos de publicar clipes inteiros no Facebook, estando autorizados a divulgar apenas um trecho do vídeo. Em dezembro, o Bloomberg já havia noticiado que a rede social estava em negociações com os três maiores selos norte-americanos (Universal Music Group, Sony Music Entertainment e Warner Music Group), mas os motivos ainda eram obscuros.

Clipes musicais são um dos tipos de vídeos mais populares no YouTube, que possui mais de 2 bilhões de visitantes mensais e recebe cerca de 500 horas de conteúdo por minuto. Adicionar tais clipes no Facebook Watch seria, de fato, uma jogada estratégica de Mark Zuckerberg para aumentar a retenção dos internautas em sua rede social e lucrar ainda mais com a exibição de anúncios direcionados.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: