Mercado abrirá em 9 h 36 min
  • BOVESPA

    128.405,35
    +348,35 (+0,27%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.319,57
    +116,77 (+0,23%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,23
    +0,59 (+0,82%)
     
  • OURO

    1.775,20
    +6,20 (+0,35%)
     
  • BTC-USD

    35.089,78
    -574,68 (-1,61%)
     
  • CMC Crypto 200

    870,25
    -69,70 (-7,42%)
     
  • S&P500

    4.166,45
    -55,41 (-1,31%)
     
  • DOW JONES

    33.290,08
    -533,32 (-1,58%)
     
  • FTSE

    7.017,47
    -135,96 (-1,90%)
     
  • HANG SENG

    28.469,99
    -331,28 (-1,15%)
     
  • NIKKEI

    27.980,87
    -983,21 (-3,39%)
     
  • NASDAQ

    13.989,50
    -45,50 (-0,32%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0346
    -0,0015 (-0,02%)
     

Facebook pode endurecer tratamento dado a posts de políticos na rede social

·3 minuto de leitura

A relação entre o Facebook e os políticos é conturbada há algum tempo, mas parece ter se deteriorado desde o ano passado, quando a rede começou a bloquear uma série de posts do ex-presidente dos Estados Unidos Donald Trump, o que culminou na expulsão do político pela plataforma. Agora, a rede planeja mudar a forma de tratamento com políticos do mundo inteiro.

A empresa não vai mais proteger as autoridades e os políticos das regras de moderação de conteúdo que se aplicam a todos os outros usuários, uma mudança importante que pode ter impacto global, principalmente durante os períodos eleitorais. Por enquanto, ainda não se sabe se isso seria aplicado aos eleitos ou se qualquer pessoa que se identifique como "figura pública" estaria sujeita às normas mais rígidas.

O Facebook era mais permissivo com políticos, mas isso deve mudar (Imagem: Reprodução/Facebook)
O Facebook era mais permissivo com políticos, mas isso deve mudar (Imagem: Reprodução/Facebook)

Desde 2016 que a rede é mais permissiva com posts de políticos, ainda que descumpram as suas regras, por acreditar que o interesse público se sobrepõe a qualquer normativo interno e que as falas dos políticos têm conteúdos que devem ser vistos e ouvidos por todos. Isto agora deve mudar para oferecer mais isonomia no tratamento das pessoas, algo capaz de ajudar também a frear a prática de disseminação de notícias falsas ou conteúdos mentirosos.

O Facebook manterá uma abordagem mais direta em relação ao discurso político, não mais isentando-os da verificação de fatos. Além de obrigá-los a ter mais responsabilidade com o que postam, eles ainda estarão sujeitos a punições legais, cíveis e penais se o conteúdo for mentiroso, agredir a honra de outro ou incentivar o cometimento de crimes.

Esta é uma virada de chave na prática adotada até então, como mencionado pelo CEO Mark Zuckerberg no ano passado. Essas novidades podem ter como base a decisão do Conselho de Supervisão de Conteúdo do Facebook, que manteve a decisão de excluir o ex-presidente dos EUA, mas recomendou uma revisão na penalidade de suspensão indefinida. O conselho também disse que "as mesmas regras devem ser aplicadas a todos os usuários", embora seja necessário analisar o contexto e avaliar a probabilidade dos danos causados.

Política dos strikes

Conforme noticiado aqui no Canaltech, a plataforma começará a informar ao usuário quando cometer violação de suas regras, o que, se for reiterado, poderá levar à suspensão. A ideia é que as pessoas não possam mais alegar surpresa caso sejam punidas, afinal elas já terão sido advertidas algumas vezes antes. A rede também deve reduzir o alcance de usuários que, mesmo avisados sobre conteúdo enganoso, ainda insistem em fazer tais publicações.

Na semana passada, a rede comentou sobre as medidas que tomou para combater a disseminação de fake news e de manipulação da opinião pública na plataforma. Foram apagados 714 perfis só no Brasil, de 2017 até 2020, cujas atitudes violam as boas práticas.

A rede social possui regras contra intimidação e ameaças, discurso de ódio e outros conteúdos ofensivos. Por enquanto, ainda não houve nenhum posicionamento oficial da rede, mas a expectativa é que isso seja anunciado até a semana que vem, no máximo.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos