Mercado fechará em 2 h 31 min
  • BOVESPA

    103.765,50
    +2.990,93 (+2,97%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.528,77
    +521,61 (+1,04%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,68
    +1,11 (+1,69%)
     
  • OURO

    1.767,60
    -16,70 (-0,94%)
     
  • BTC-USD

    56.331,61
    -2.526,25 (-4,29%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.437,81
    -1,07 (-0,07%)
     
  • S&P500

    4.569,77
    +56,73 (+1,26%)
     
  • DOW JONES

    34.591,61
    +569,57 (+1,67%)
     
  • FTSE

    7.141,60
    -27,08 (-0,38%)
     
  • HANG SENG

    23.788,93
    +130,01 (+0,55%)
     
  • NIKKEI

    27.753,37
    -182,25 (-0,65%)
     
  • NASDAQ

    15.962,00
    +92,25 (+0,58%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3561
    -0,0907 (-1,41%)
     

Facebook não vai mais direcionar anúncios com base em tópicos sensíveis

·2 min de leitura

O Facebook não mais permitirá que anunciantes direcionem publicidade para pessoas com base em preferência política, orientação sexual, questões de saúde, religião e outros tópicos considerados sensíveis. Com isso, a plataforma espera atender a vontade geral dos usuários, cada dia mais conscientes sobre a forma que propagandas devem alcançá-los.

Essas categorias específicas fazem parte das opções de “Direcionamento detalhado” do Facebook e não mais estarão disponíveis a partir de 19 de janeiro de 2022. A rede social ressalta que os filtros por interesse que serão removidos não se baseiam em características físicas, tampouco em “atributos pessoais”, mas são definidos conforme os usuários interagem com o conteúdo na rede.

Anúncios contarão com menos categorias específicas para o direcionamento, e isso pode impactar na eficiência da publicidade (Imagem: Nathana Rebouças/Unsplash)
Anúncios contarão com menos categorias específicas para o direcionamento, e isso pode impactar na eficiência da publicidade (Imagem: Nathana Rebouças/Unsplash)

“Estamos confiantes que podemos desenvolver nosso sistema de anúncios para corresponder às necessidades de todos que atendemos, enquanto trabalhamos para continuar a oferecer suporte a uma das melhores coisas sobre nossas plataformas: ajudar as pessoas a se conectarem e descobrirem as empresas e organizações com as quais elas se importam”, pontuou o Facebook em comunicado.

A empresa diz que a decisão não foi fácil, uma vez que há “defesas em ambas as direções” e interesses conflitantes para esse aspecto em específico. “Alguns de nossos parceiros de publicidade se mostraram preocupados com a remoção dessas opções de segmentação por causa de sua capacidade de ajudar a gerar mudanças sociais positivas”, explicou a companhia.

Mais controle sobre anúncios

Para complementar as adições, o Facebook também trabalha em melhorias para o controle de usuários sobre o conteúdo que quer ver em publicidade. Segundo o Facebook, atualmente pessoas podem minimizar a exibição de anúncios relacionados a política, maternidade e paternidade, álcool e animais de estimação.

Contudo, no início do próximo ano, essas opções serão expandidas para jogos de azar e perda de peso, entre outros assuntos. Nesse caso, não existe uma data específica para as opções serem disponibilizadas na rede social.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos