Mercado fechado
  • BOVESPA

    106.296,18
    -1.438,83 (-1,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.889,66
    -130,39 (-0,25%)
     
  • PETROLEO CRU

    83,98
    +1,48 (+1,79%)
     
  • OURO

    1.793,10
    +11,20 (+0,63%)
     
  • BTC-USD

    60.865,05
    -2.362,32 (-3,74%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.453,34
    -49,69 (-3,31%)
     
  • S&P500

    4.544,90
    -4,88 (-0,11%)
     
  • DOW JONES

    35.677,02
    +73,94 (+0,21%)
     
  • FTSE

    7.204,55
    +14,25 (+0,20%)
     
  • HANG SENG

    26.126,93
    +109,40 (+0,42%)
     
  • NIKKEI

    28.804,85
    +96,27 (+0,34%)
     
  • NASDAQ

    15.324,00
    -154,75 (-1,00%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5808
    -0,0002 (-0,00%)
     

Facebook investe quase R$ 270 milhões no mundo metaverso

·2 minuto de leitura
O Facebook, a maior rede social do mundo, investiu pesadamente em realidade virtual e realidade aumentada, desenvolvendo seus fones de ouvido Oculus VR e trabalhando em óculos AR e tecnologias de pulseira. A empresa foi criticada por seu impacto na segurança online. (REUTERS/Dado Ruvic)
  • Empresa de Mark Zuckerberg investirá quase R$ 270 milhões no mundo metaverso

  • Três universidades estarão envolvidas no projeto da companhia americana

  • A empresa planeja trabalhar com pesquisadores em quatro áreas

O Facebook investirá US$ 50 milhões (R$ 268 milhões) para fazer parceria com organizações para construir de forma responsável o chamado metaverso - um mundo digital onde as pessoas podem usar diferentes dispositivos para se mover e se comunicar em um ambiente virtual, disse na segunda-feira (27).

Leia também:

A maior rede social do mundo investiu pesadamente em realidade virtual e realidade aumentada, desenvolvendo seus fones de ouvido Oculus VR e trabalhando em óculos AR e tecnologias de pulseira. A empresa foi criticada por seu impacto na segurança online.

Os novos Programas XR e Fundo de Pesquisa investirão o dinheiro globalmente ao longo de dois anos para garantir que as tecnologias do metaverso sejam "construídas de uma forma inclusiva e capacitadora", disse o Facebook.

A empresa disse que planeja trabalhar com pesquisadores em quatro áreas, incluindo privacidade e segurança de dados, para permitir que os usuários obtenham ajuda se algo que virem no metaverso os deixar desconfortáveis. Ele também pesquisará como projetar tecnologias que sejam inclusivas e acessíveis a todos os usuários e "incentivem a competição" na indústria nascente, acrescentou o Facebook em um post de blog.

Sob os holofotes da Justiça, Facebook vai fazer parceria com universidades

O Facebook tem enfrentado muitos problemas na internet, como a disseminação da desinformação e o impacto negativo da mídia social sobre os adolescentes. A empresa disse que interrompeu o desenvolvimento do Instagram Kids, um aplicativo que fornecia conteúdo adequado à idade para crianças menores de 13 anos. Legisladores e grupos de defesa dos EUA citaram questões de segurança e instaram o Facebook a desistir dos planos de lançamento.

Um executivo do Facebook testemunhará na quinta-feira (30) em uma audiência do comitê do Senado dos EUA sobre o impacto de seu aplicativo Instagram na saúde mental de jovens usuários.

Os parceiros iniciais para o novo fundo de metaverso do Facebook incluem a Howard University em Washington D.C., que pesquisará a história da diversidade na indústria de tecnologia da informação e como ela poderia moldar oportunidades no metaverso. A empresa disse que a Universidade Nacional de Seul e a Universidade de Hong Kong pesquisariam segurança, ética e design responsável.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos