Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.880,82
    +1.174,91 (+0,97%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.219,26
    +389,95 (+0,80%)
     
  • PETROLEO CRU

    65,51
    +1,69 (+2,65%)
     
  • OURO

    1.844,00
    +20,00 (+1,10%)
     
  • BTC-USD

    49.128,18
    +278,30 (+0,57%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.398,33
    +39,77 (+2,93%)
     
  • S&P500

    4.173,85
    +61,35 (+1,49%)
     
  • DOW JONES

    34.382,13
    +360,68 (+1,06%)
     
  • FTSE

    7.043,61
    +80,28 (+1,15%)
     
  • HANG SENG

    28.027,57
    +308,90 (+1,11%)
     
  • NIKKEI

    28.084,47
    +636,46 (+2,32%)
     
  • NASDAQ

    13.398,00
    +297,75 (+2,27%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4040
    -0,0085 (-0,13%)
     

Facebook encerra primeiro trimestre de 2021 com receita de US$ 26,17 bi

Igor Shimabukuro
·2 minuto de leitura
Facebook encerra primeiro trimestre de 2021 com receita de US$ 26,17 bi
Facebook encerra primeiro trimestre de 2021 com receita de US$ 26,17 bi

Mesmo diante da pandemia do coronavírus, as big techs têm observado altas expressivas em seus faturamentos. O Facebook foi mais uma gigante do setor de tecnologia a apresentar resultados positivos no primeiro trimestre de 2021: a receita da empresa no período chegou a US$ 26,17 bilhões, número que representa um salto de 48% em comparação com os ganhos reportados nos três primeiros meses do ano passado.

Isso permitiu que a empresa alcançasse um lucro líquido de US$ 9,5 bilhões de janeiro a março deste ano — um salto de 94% ante os resultados do mesmo período de 2020.

O número de usuários ativos do Facebook também cresceu: houve um aumento de 10% em relação ao ano passado, o que levou a plataforma a totalizar 2,85 bilhões de usuários ativos em março.

Segundo a empresa, o preço médio por anúncio, que aumentou 30% ano a ano, foi um dos responsáveis pelos números positivos. O número de impressões de anúncios cresceu 12%. Juntos, estes fatores foram essenciais para que a empresa de Mark Zuckerberg reportasse uma receita de anúncios de US$ 25,44 bilhões.

Ads do Facebook
Receita de anúncios foi importante para faturamento do Facebook no primeiro trimestre de 2021. Foto: PixieMe/Shutterstock

Além disso, a pandemia fez com que a rede social focasse em seu marketplace. Parece ter dado certo. “Isso está funcionando: a cada mês vemos mais de um milhão de lojas do Facebook ativas, mais de 250 milhões de visitantes e mais de um bilhão de usuários do marketplace”, aponta Martin Garner, diretor de Operações da empresa de análise CCS Insight.

De acordo com o executivo, o Facebook planeja ganhar dinheiro com a publicidade envolvida nas compras ao invés de cobrar taxas de transações dos vendedores.

Leia mais:

“Guerra” contra a Apple

Apesar dos números positivos do Facebook no primeiro trimestre de 2021, a companhia agora tem um novo empecilho: as novas políticas de privacidade da Apple.

Isso porque a atualização para o iOS 14.5 disponibilizou o App Tracking Transparency (ATT), que passou a exigir que os aplicativos que coletam dados peçam permissão para os usuários de iPhones. O problema é que a ferramenta pode afetar a coleta de dados do Facebook, impactando o disparo de anúncios personalizados.

App Tracking Transparency, da Apple
Novo recurso da Apple poderá afetar ganhos com publicidade do Facebook. Foto: Alexander Kirch/Shutterstock

Em uma sala do app Clubhouse, Zuckerberg adotou um tom mais ameno ao mencionar o novo recurso da Apple. “A realidade é que estou confiante de que seremos capazes de administrar bem essa situação e estaremos em uma boa posição”, disse o executivo.

Ainda assim, a medida deverá impactar os ganhos do Facebook. Não à toa, a companhia mantém a projeção de crescimento para o segundo semestre de 2021, mas de forma desacelerada.

Fonte: Markets Insider