Mercado abrirá em 2 h 31 min
  • BOVESPA

    110.580,79
    +234,97 (+0,21%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.304,04
    -72,85 (-0,14%)
     
  • PETROLEO CRU

    111,29
    +1,52 (+1,38%)
     
  • OURO

    1.853,60
    -11,80 (-0,63%)
     
  • BTC-USD

    29.741,86
    +440,15 (+1,50%)
     
  • CMC Crypto 200

    661,43
    +5,60 (+0,85%)
     
  • S&P500

    3.941,48
    -32,27 (-0,81%)
     
  • DOW JONES

    31.928,62
    +48,38 (+0,15%)
     
  • FTSE

    7.528,42
    +44,07 (+0,59%)
     
  • HANG SENG

    20.171,27
    +59,17 (+0,29%)
     
  • NIKKEI

    26.677,80
    -70,34 (-0,26%)
     
  • NASDAQ

    11.790,00
    +19,00 (+0,16%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1420
    -0,0302 (-0,58%)
     

Facebook encerra plataforma de podcast menos de 1 ano depois do lançamento

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

O Facebook decidiu encerrar oficialmente sua plataforma de podcast menos de um ano após o lançamento. Os criadores não poderão mais enviar programas para o serviço a partir desta semana e tudo será descontinuado completamente em 3 de junho.

Segundo o site The Verge, a mudança faz parte de uma reavaliação ampla dos produtos de áudio do Facebook. A rede social fechará tanto o Soundbites quanto o recurso Live Audio Rooms, criado para rivalizar com o Clubhouse, ambas utilizadas como complementos do Facebook Live.

As salas de áudio do Facebook eram inspiradas no Clubhouse, mas não decolaram (Imagem: Divulgação/Facebook)
As salas de áudio do Facebook eram inspiradas no Clubhouse, mas não decolaram (Imagem: Divulgação/Facebook)

No caso do Soundbites, a ideia era criar uma espécie de "TikTok de áudio", com trechos curtos extraídos das salas de chat ao vivo. Já as Live Audio Rooms serviam para conversar por voz em tempo real, mas também eram ideias para criação de podcasts, pois tinham suporte a múltiplos palestrantes e plateia.

A porta-voz do Facebook, Adelaide Coronado, disse ao The Verge que as mudanças “simplificariam” as ofertas de áudio da empresa. “Após um ano de aprendizado e interação com experiências de áudio, decidimos simplificar nosso conjunto de ferramentas de áudio no Facebook. Estamos constantemente avaliando os recursos que oferecemos para podermos nos concentrar nas experiências mais significativas”, concluiu.

O curioso é que os dois serviços só foram lançados amplamente em alguns mercados específicos, como os Estados Unidos e parte da Europa. O Brasil, por exemplo, pouca gente teve contato com as ferramentas de áudio — o que provavelmente não faria muita diferença, porque o formato também não se firmou por essas bandas.

Fim do Live Audio Rooms e Soundbites

Apesar de precoce, o encerramento não chega a ser uma surpresa. Nos últimos dois anos, o mercado de áudio via internet teve um boom, não somente pelo crescimento da popularidade dos podcasts, mas também com ferramentas como o Clubhouse e depois com o Twitter Espaços. Isso fez com que vários concorrentes desenvolvessem soluções próprias, entre os quais estava o Facebook.

Os Soundbites eram posts curtinhos com trechos de áudio extraídos das salas (Imagem: Divulgação/Facebook)
Os Soundbites eram posts curtinhos com trechos de áudio extraídos das salas (Imagem: Divulgação/Facebook)

A rede até cogitou pagar para criadores de conteúdo migrarem para sua plataforma, mas aparentemente isso não evoluiu. A ideia era integrar o recurso também com o Instagram, mas a empresa preferiu ver se o formato se firmaria primeiro no Face.

A tendência dos podcasts ainda sem mantém forte, mas as conversas ao vivo por voz parece terem sido uma moda passageira. Com queda na arrecadação, a Meta prometeu ser mais cautelosa com seus investimentos para evitar prejuízos. A equipe do Facebook testou e viu que não valia a pena destinar dinheiro, equipe e esforços para manter um serviço que provavelmente não caiu (nem vai cair) no gosto dos usuários.

O Canaltech entrou em contato com a representação brasileira do Facebook, mas ainda não obteve resposta. Assim que houver um retorno, este texto será atualizado com o posicionamento oficial da companhia.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos