Mercado fechado
  • BOVESPA

    112.256,36
    -3.411,42 (-2,95%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.310,27
    -841,11 (-1,86%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,47
    +0,25 (+0,40%)
     
  • OURO

    1.768,60
    -29,30 (-1,63%)
     
  • BTC-USD

    48.187,01
    -900,14 (-1,83%)
     
  • CMC Crypto 200

    962,70
    -31,96 (-3,21%)
     
  • S&P500

    3.829,34
    -96,09 (-2,45%)
     
  • DOW JONES

    31.402,01
    -559,85 (-1,75%)
     
  • FTSE

    6.651,96
    -7,01 (-0,11%)
     
  • HANG SENG

    30.074,17
    +355,93 (+1,20%)
     
  • NIKKEI

    30.168,27
    +496,57 (+1,67%)
     
  • NASDAQ

    12.783,25
    -518,75 (-3,90%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7379
    +0,1674 (+2,55%)
     

Facebook e Instagram tentam convencer usuários a permitirem coleta de dados

Redação
·3 minuto de leitura

O Facebook e Instagram apresentarão uma tela especial mostrando “os benefícios das propagandas personalizadas” para usuários de dispositivos iOS. A disputa pela proteção dos dados dos usuários parece estar sendo vencida pela Apple, fazendo com que o Facebook apele para a persuasão para manter sua base de dados alimentada por quem utiliza iOS 14.

A Apple não parece disposta a abrir mão de suas novas políticas de privacidade. Constantemente, a marca reitera que seus aparelhos são “os mais seguros” para navegar pela internet, já que contam com um robusto sistema de segurança, downloads controlados e, agora, fluxo de dados de todos os apps destrinchados.

Em uma medida para contornar as notificações de coleta de dados em aparelhos iOS, o Facebook e o Instagram apresentarão uma tela especial indicando as “vantagens” de ter propagandas direcionadas. Um pequeno trecho ressalta que habilitar a coleta de dados “favorece negócios de companhias que dependem de propagandas” para alcançar seus consumidores; logo abaixo, a companhia preparou um artigo de quais seriam as consequências se o usuário não concordasse com as permissões.

(Imagem: Reprodução/Facebook)
(Imagem: Reprodução/Facebook)

O que acontece se recusar a compartilhar os dados com o Facebook?

Basicamente, o Facebook e o Instagram continuarão funcionando como sempre: gratuitamente e com o mesmo volume de propagandas. Entretanto, a companhia alerta que os anúncios não serão direcionados ao usuário, resultando em marcas, promoções e divulgação de produtos ou serviços que não são de interesse de quem os vê.

Na prática, não compartilhar os dados com o Facebook não resulta em qualquer mudança na experiência com os aplicativos, ainda que os anúncios exibidos possam soar um tanto sem sentido. Contudo, nesse cenário, a renda de “pequenas empresas” seria impactada pelo enfraquecimento no direcionamento de propagandas.

Uma briga ferrenha entre gigantes

Há meses, a companhia de Mark Zuckerberg e a Apple disputam pela “posse” dos dados dos usuários. Para reforçar que “iPhones são os celulares mais seguros do mundo”, a Maçã introduziu o App Tracking Transparency (ATT) no iOS 14, um recurso que alerta caso o aplicativo utilizado solicite a coleta de informações pessoais para direcionar publicidade.

Sendo assim, sempre que um app ou jogo realizasse tal solicitação para fins comerciais, o sistema informaria a ação e apresentaria uma mensagem de aviso. Para o Facebook, a janela de notificação é "intimidadora" e tem potencial para afastar os usuários da rede social.

Apps também tem as exigências expostas na página da App Store. (Imagem: Reprodução/Apple)
Apps também tem as exigências expostas na página da App Store. (Imagem: Reprodução/Apple)

A briga rendeu várias alfinetadas entre as companhias, mas as críticas escalaram significativamente e o Facebook decidiu entrar com um processo antitruste contra a Apple, alegando que a companhia estaria adotando “práticas anticompetitivas” para sufocar a concorrência enquanto favorecia os próprios aplicativos, isentando-os dessas notificações.

Por outro lado, a Apple diz que seus aplicativos não sofrem com as notificações já que, de fato, não coletam dados dos seus usuários — afirmação que deve ser contestada durante as investigações. Enquanto o processo corre na justiça, o Facebook buscou por alternativas para manter sua base de dados alimentada por usuários Apple e tenta apresentar às pessoas as vantagens de ter seus dados coletados indiscriminadamente pela companhia.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: