Mercado fechará em 2 h 16 min
  • BOVESPA

    107.247,09
    -1.204,11 (-1,11%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.391,58
    -50,63 (-0,11%)
     
  • PETROLEO CRU

    82,48
    +0,33 (+0,40%)
     
  • OURO

    1.668,90
    -1,10 (-0,07%)
     
  • BTC-USD

    19.463,67
    -72,73 (-0,37%)
     
  • CMC Crypto 200

    444,66
    -1,33 (-0,30%)
     
  • S&P500

    3.629,07
    -89,97 (-2,42%)
     
  • DOW JONES

    29.124,22
    -559,52 (-1,88%)
     
  • FTSE

    6.881,59
    -123,80 (-1,77%)
     
  • HANG SENG

    17.165,87
    -85,01 (-0,49%)
     
  • NIKKEI

    26.422,05
    +248,07 (+0,95%)
     
  • NASDAQ

    11.183,50
    -372,25 (-3,22%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2773
    +0,0447 (+0,85%)
     

Facebook e Instagram permitem publicar seus NFTs ao mesmo tempo

A Meta anunciou um recurso que permitirá a publicação de imagens no formato de tokens não fungíveis (NFTs) no Instagram e no Facebook simultaneamente. Após conectar a sua carteira favorita, a pessoa poderá divulgar o colecionável nas duas redes sociais com apenas uma só ação.

O sistema deve funcionar de modo semelhante aos posts com fotos, vídeos do Reels e Stories. Por enquanto, a Meta tem compatibilidade apenas com as carteiras Metamask, Rainbow, Trust Wallet, Coinbase Wallet e Dapper Wallet e suporta imagens digitais cunhadas nas blockchains Ethereum, Polygon e Flow.

Facebook e Instagram já permitem posts com NFTs para alguns criadores, mas o processo agora foi simplificado (Imagem: Navdeep Singh/Twitter)
Facebook e Instagram já permitem posts com NFTs para alguns criadores, mas o processo agora foi simplificado (Imagem: Navdeep Singh/Twitter)

As duas plataformas já permitiram criar publicações a partir dos itens, mas era preciso fazer manualmente em cada uma. Os testes iniciaram em maio de 2022 e foram evoluindo até o momento atual.

NFTs no Face e Insta

A estratégia da Meta é fortalecer a cultura dos NFTs para quando ocorrer o lançamento definitivo do seu metaverso. A empresa pretende comercializar itens digitais variados para aprimorar a experiência: roupas e acessórios para avatares, propriedades e terrenos, objetos para residências ou escritórios, além de outros itens que ainda serão divulgados.

Hoje, há suporte a NFTs no Instagram em mais de 100 países, embora nem todos os usuários sejam capazes de publicá-lo. Com a unificação, espera-se que o Facebook também tenha a base expandida para mais nações. O Brasil está entre os países com disponibilidade dos itens desde o começo deste mês, afinal trata-se de um dos maiores mercados de NFTs e criptomoedas do mundo.

Ao clicar no botão "Digital Collectible", o usuário tem informações sobre a coleção, o criador e o proprietário (Imagem: Reprodução/Meta)
Ao clicar no botão "Digital Collectible", o usuário tem informações sobre a coleção, o criador e o proprietário (Imagem: Reprodução/Meta)

A companhia também pretende apresentar animações personalizadas para os itens e coleções digitais. O objetivo é destacar as artes para mostrar serem NFTs e não apenas uma imagem simples. No começo do ano, Zuckerberg havia prometido suporte à publicação nos Stories e integração com a ferramenta Spark AR, para apreciação de artes em realidade aumentada.

Redes sociais com suporte a NFTs

Twitter e Reddit são plataformas rivais que oferecem suporte a avatares baseados em NFTs, mas a integração para por aí. A Meta é mais ambiciosa porque terá esses itens no centro do seu modelo de negócio dos próximos anos, logo é necessário apresentar nível maior de usabilidade.

O Instagram é uma das principais redes sociais do mundo e possui muitos influenciadores digitais especializados em NFTs. Muito antes da ferramenta nativa, os colecionadores já ostentavam as imagens na guia do perfil ou em publicações.

É provável que a empresa também lance futuramente um mercado para compra e venda de digitais colecionáveis, assim os artistas teriam uma nova forma de comercialização — e o Instagram teria uma fonte de renda extra. É claro que isto deve levar algum tempo, afinal a integração entre uma rede social e diversas blockchains envolve um minucioso trabalho, principalmente de segurança, para evitar cópias, falsificações e roubo de carteiras digitais.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: