Mercado abrirá em 1 h 59 min
  • BOVESPA

    120.294,68
    +997,55 (+0,84%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.329,84
    +826,13 (+1,74%)
     
  • PETROLEO CRU

    62,83
    -0,32 (-0,51%)
     
  • OURO

    1.747,40
    +11,10 (+0,64%)
     
  • BTC-USD

    62.308,13
    -1.388,42 (-2,18%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.362,29
    -13,48 (-0,98%)
     
  • S&P500

    4.124,66
    -16,93 (-0,41%)
     
  • DOW JONES

    33.730,89
    +53,62 (+0,16%)
     
  • FTSE

    6.970,96
    +31,38 (+0,45%)
     
  • HANG SENG

    28.793,14
    -107,69 (-0,37%)
     
  • NIKKEI

    29.642,69
    +21,70 (+0,07%)
     
  • NASDAQ

    13.887,00
    +88,25 (+0,64%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7682
    -0,0047 (-0,07%)
     

Facebook e Google investem em cabos submarinos para conectar EUA e Indonésia

Rui Maciel
·3 minuto de leitura

O Facebook afirmou nesta segunda-feira (29) que planeja instalar dois novos cabos submarinos que conectarão Cingapura, Indonésia e América do Norte para aumentar a capacidade de conexão à Internet entre as regiões. O projeto envolve ainda o Google, além de empresas regionais de telecomunicações.

“Chamados de Echo e Bifrost, esses serão os dois primeiros cabos a passar por uma nova rota diversificada cruzando o Mar de Java", afirmou Kevin Salvadori, vice-presidente de Investimentos de Rede do Facebook à agência de notícias Reuters. "Eles aumentarão a capacidade submarina geral no transpacífico em cerca de 70%” e será um investimento muito importante para nós no Sudeste Asiático". O executivo, no entanto, não especificou quanto foi investido no projeto.

Ainda de acordo com Salvadori, os cabos serão os primeiros a conectar diretamente a América do Norte a algumas das principais partes da Indonésia. Eles aumentarão a conectividade para as províncias central e oriental do quarto país mais populoso do mundo. Ele afirmou que um dos cabos, o Echo, "está sendo construído em parceria com a Alphabet (holding que controla o Google) e a empresa de telecomunicações da Indonésia XL Axiata e deve ser concluído até 2023".

Já o Bifrost está sendo feito em parceria com a Telin, uma subsidiária da Telkom da Indonésia, e o conglomerado de Cingapura Keppel. Ele deve ser concluído até 2024.

Os cabos que conectarão os EUA à Indonésia ainda terão de passar de aprovação regulatória por parte do governo do país asiátivo.

Falta de acesso

Os dois cabos seguem os investimentos anteriores do Facebook para construir conectividade na Indonésia, um de seus cinco principais mercados globalmente. Segundo uma pesquisa de 2020 feita pela Associação de Provedores de Internet da Indonésia, ainda que 73% da população do país - de 270 milhões de habitantes - esteja online, a maioria acessa a web através de dados móveis. E menos de 10% vem usando uma conexão de banda larga. Partes do país, inclusive, permanecem sem qualquer acesso à Internet.

Em 2020, o Facebook afirmara que implantaria 3.000 km de fibra ótica na Indonésia em vinte cidades, além de um acordo anterior para desenvolver pontos de acesso Wi-Fi públicos. Além dos cabos do sudeste asiático, a rede social continuava com seus planos submarinos mais amplos na Ásia e, globalmente, incluindo a Pacific Light Cable Network (PLCN);

“Estamos trabalhando com parceiros e reguladores para atender a todas as preocupações das pessoas e esperamos que esse cabo seja um cabo transpacífico valioso e produtivo em um futuro próximo”, afirmou Salvadori.

O PLCN, cuja extensão total é de 12.800 km, está sendo financiado pelo Facebook e Alphabet, mas encontrou resistência do governo dos EUA sobre os planos de um conduíte de Hong Kong. A intenção original era ligar os Estados Unidos, Taiwan, Hong Kong e as Filipinas.

O Facebook disse no início deste mês que abandonaria os esforços para conectar o cabo entre a Califórnia e Hong Kong devido a “preocupações constantes do governo dos EUA sobre os links de comunicação direta entre os Estados Unidos e a região chinesa”.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: