Mercado fechado
  • BOVESPA

    100.539,83
    +1.882,18 (+1,91%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    38.201,81
    +546,36 (+1,45%)
     
  • PETROLEO CRU

    41,51
    +0,05 (+0,12%)
     
  • OURO

    1.915,20
    -0,20 (-0,01%)
     
  • BTC-USD

    11.943,29
    +886,28 (+8,02%)
     
  • CMC Crypto 200

    239,54
    +0,62 (+0,26%)
     
  • S&P500

    3.443,12
    +16,20 (+0,47%)
     
  • DOW JONES

    28.308,79
    +113,37 (+0,40%)
     
  • FTSE

    5.889,22
    +4,57 (+0,08%)
     
  • HANG SENG

    24.569,54
    +27,28 (+0,11%)
     
  • NIKKEI

    23.567,04
    -104,09 (-0,44%)
     
  • NASDAQ

    11.706,75
    +46,00 (+0,39%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6264
    +0,0275 (+0,42%)
     

Facebook é acusado de espiar usuários do Instagram pela câmera do celular

Marcus Couto
·1 minuto de leitura
Facebook: acusado de espiar usuários via Instagram. (Foto: Getty Images)
Facebook: acusado de espiar usuários via Instagram. (Foto: Getty Images)

O Facebook está sendo processado por supostamente acessar as câmeras dos celulares de seus usuários sem autorização para espioná-los e obter vantagens comerciais com esse processo. O Facebook nega que isso seja verdade.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Finanças no Google News

O processo foi registrado neste mês por uma usuária do Instagram de New Jersey na corte federal dos Estados Unidos na cidade de São Francisco. As informações são da Bloomberg.

Leia também

No processo, a usuário argumenta que o Facebook tem usado o acesso à câmera de celulares para obter “dados lucrativos e valiosos de seus usuários que não conseguiria de outra forma, obtendo dados extremamente pessoais e íntimos de seus usuários, incluindo da privacidade de suas próprias casas.”

A base do processo são reportagens de julho deste ano que afirmavam que o Instagram sinalizava acessar as câmeras de iPhones mesmo enquanto não estava sendo utilizado.

O Facebook argumenta que esses avisos eram frutos de um bug que já estava sendo corrigido. Essas seriam “falsas notificações”.

A empresa se recusou a comentar na reportagem da Bloomberg.

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos

Siga o Yahoo Finanças no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube