Mercado fechado
  • BOVESPA

    114.647,99
    +1.462,52 (+1,29%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.798,38
    +658,14 (+1,26%)
     
  • PETROLEO CRU

    82,66
    +1,35 (+1,66%)
     
  • OURO

    1.768,10
    -29,80 (-1,66%)
     
  • BTC-USD

    60.609,19
    -727,26 (-1,19%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.464,06
    +57,32 (+4,07%)
     
  • S&P500

    4.471,37
    +33,11 (+0,75%)
     
  • DOW JONES

    35.294,76
    +382,20 (+1,09%)
     
  • FTSE

    7.234,03
    +26,32 (+0,37%)
     
  • HANG SENG

    25.330,96
    +368,37 (+1,48%)
     
  • NIKKEI

    29.068,63
    +517,70 (+1,81%)
     
  • NASDAQ

    15.144,25
    +107,00 (+0,71%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3297
    -0,0741 (-1,16%)
     

Facebook diz ter gasto mais de US$ 13 bilhões em segurança desde 2016

·1 minuto de leitura
Foto: Reprodução da internet.
Foto: Reprodução da internet.
  • A resposta da empresa vem após matéria escrita pelo The Wall Street Journal;

  • O investimento em segurança estaria de acordo com pronunciamentos feitos pela empresa em 2018;

  • Segundo o Facebook, o jornal não contextualizou as informações de forma apropriada.

O Facebook afirmou nesta semana que investiu US$ 13 bilhões, o equivalente a R$ 69,2 bilhões, em segurança e proteção desde 2016. A empresa publicou um post em seu blog respondendo às informações divulgadas pelo The Wall Street Journal quanto ao impacto negativo do Instagram na juventude.

A empresa afirma que o jornal norte-americano não contextualizou informações importantes, referentes à situações complexas. 

Caso os números divulgados sejam verdadeiros, desde 2017, o Facebook teria aumentado o número de funcionários na área de segurança, indo de 10 mil a 40 mil funcionários.

Leia também:

O alto valor de US$ 13 bilhões em segurança estaria em conformidade com as informações e pronunciamentos feitos pela empresa em 2018. Na época, o Facebook disse que investiria na segurança das plataformas.

Contudo, a empresa assume que em tempos passados não procurava falhas nos serviços durante o processo de desenvolvimento, fazendo, ao invés disso, melhorias de acordo com as demandas do usuário.

O Facebook afirma que, atualmente, com os investimentos e a grande equipe de profissionais de segurança, parte considerável das vulnerabilidades são corrigidas antes do funcionamento do produto ao público.

As informações são do Canal Tech.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos