Mercado fechado
  • BOVESPA

    128.405,35
    +348,13 (+0,27%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.319,57
    +116,77 (+0,23%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,50
    +0,46 (+0,65%)
     
  • OURO

    1.763,90
    -10,90 (-0,61%)
     
  • BTC-USD

    35.677,59
    -1.900,22 (-5,06%)
     
  • CMC Crypto 200

    888,52
    -51,42 (-5,47%)
     
  • S&P500

    4.166,45
    -55,41 (-1,31%)
     
  • DOW JONES

    33.290,08
    -533,37 (-1,58%)
     
  • FTSE

    7.017,47
    -135,96 (-1,90%)
     
  • HANG SENG

    28.801,27
    +242,68 (+0,85%)
     
  • NIKKEI

    28.964,08
    -54,25 (-0,19%)
     
  • NASDAQ

    14.103,00
    -62,50 (-0,44%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0361
    +0,0736 (+1,23%)
     

Facebook diz que política de trabalho remoto pode desacelerar crescimento de empregos na Irlanda

·2 minuto de leitura

DUBLIN (Reuters) - O Facebook ainda planeja aumentar "agressivamente" o número de funcionários em sua sede europeia na Irlanda, mas uma política de toda a empresa permitindo trabalho remoto permanente de outros países pode desacelerar esse crescimento com o tempo, disse seu chefe naquele país nesta sexta-feira.

A economia da Irlanda depende enormemente de empresas multinacionais que empregam cerca de um em cada oito trabalhadores irlandeses e qualquer movimento para facilitar o trabalho remoto no exterior aumentaria o desafio já representado por uma revisão global planejada dos impostos corporativos.

O Facebook, que é um dos maiores empregadores da Irlanda, com cerca de 3.000 funcionários e outros 3.000 terceirizados, permitirá que alguns trabalhadores se mudem permanentemente após mais de um ano de muitos trabalhando remotamente devido à pandemia de Covid-19.

Funcionários qualificados em escritórios do Facebook na Irlanda, França, Alemanha, Itália, Holanda, Polônia, Espanha e Reino Unido poderão se mudar para outro desses locais. A equipe baseada nos EUA também pode se mudar para o Canadá, acrescentou.

Gareth Lambe, do Facebook Ireland, disse que ainda está avaliando quantos funcionários irlandeses seriam elegíveis para aproveitar as vantagens da política. Menos da metade do seu pessoal é de nacionalidade irlandesa.

"Vamos continuar a crescer agressivamente", disse ele à emissora nacional RTE, citando uma mudança nos próximos um ou dois anos para um novo campus de 57.000 metros quadrados em Dublin que pretende preencher com 7.000 funcionários.

"Isso não terá um impacto material no crescimento do emprego para o Facebook na Irlanda", disse ele, referindo-se à política de trabalho remoto. "Temos uma meta este ano de adicionar cerca de 700 funcionários a mais e vamos continuar a fazer isso e vamos continuar a crescer."

"Mas esta é uma evolução significativa e no futuro, nos próximos anos e décadas, é possível que o crescimento dos empregos e dos números não seja tão rápido na Irlanda como teria sido antes."

Lambe disse que os principais tomadores de decisão do Facebook na Europa, Oriente Médio e África continuarão sediados em Dublin, o que significa que seu status fiscal corporativo não mudará.

(Reportagem de Padraic Halpin)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos