Mercado fechado

Facebook diz que restringiu por engano post sobre pílula abortiva nos EUA

Facebook disse que restringiu por engano um post sobre pílula abortivas nos EUA
Facebook disse que restringiu por engano um post sobre pílula abortivas nos EUA
  • A empresa que incluía informações sobre onde obter medicamentos para aborto;

  • O aborto está em discussão nos EUA após a revogação da decisão de Roe v. Wade;

  • A remoção ocorreu após a Meta ter admitido em junho a moderação “incorreta”de posts sobre pílulas abortivas

A empresa controladora do Facebook, Meta, diz que removeu por engano recentemente um post da companhia Planned Parenthood of Michigan que incluía informações sobre onde obter medicamentos para aborto.

“Um aborto medicamentoso é uma opção não cirúrgica para interromper uma gravidez no primeiro trimestre. Aprovados pelo FDA para uso até cerca de 10 semanas de gravidez, esses medicamentos são altamente eficazes com pouco risco de efeitos colaterais graves ”, disse o post, que continha um link para um site com uma lista de fornecedores, de acordo com uma publicação do The Verge

Um alerta compartilhado pelo porta-voz da Planned Parenthood de Michigan, Ashlea Phenicie, disse que a postagem foi restrita por violar as diretrizes do Facebook. “Os Padrões da Comunidade se aplicam ao mundo e ajudam a manter o Facebook seguro e acolhedor para todos”, afirmou a notificação.

O aborto é legal em Michigan. A remoção ocorreu após a Meta ter admitido em junho a moderação “incorreta”de posts sobre pílulas abortivas. Nos dias após a decisão da Suprema Corte dos Estados Unidos, que no 24 de junho anulou a decisão do caso Roe v. Wade, o que abriu precedentes para que o aborto pudesse se tornar ilegal em diversos estados americanos.

De acordo com uma publicação da página de tecnologia da Vice, Motherboard, a empresa estava sinalizando postagens que diziam que “o aborto pode ser enviado por correio”. De acordo com Meta Padrões da comunidade, o conteúdo que discute a acessibilidade de medicamentos prescritos é permitido no Facebook, mas os usuários não podem usar a plataforma para comprar, vender, trocar, presentear, solicitar ou doar produtos farmacêuticos.

Entenda a proibição do aborto nos EUA

A revogação da decisão de Roe v. Wade retornou aos estados o poder de legislar sobre abortos. Com isso, treze estados já tinham as chamadas "trigger laws", ou "leis gatilho", que passariam a valer assim que a revogação acontecesse. Outros treze tem projetos de lei que devem ser aprovados para proibir o acesso ao aborto. Antes, em todos os EUA as mulheres tinham autonomia para interromper uma gravidez até o primeiro trimestre.