Mercado abrirá em 5 h 19 min
  • BOVESPA

    122.515,74
    +714,95 (+0,59%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.869,48
    +1,16 (+0,00%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,19
    -0,07 (-0,10%)
     
  • OURO

    1.813,30
    -8,90 (-0,49%)
     
  • BTC-USD

    38.620,73
    -1.471,82 (-3,67%)
     
  • CMC Crypto 200

    938,20
    -22,69 (-2,36%)
     
  • S&P500

    4.387,16
    -8,10 (-0,18%)
     
  • DOW JONES

    34.838,16
    -97,31 (-0,28%)
     
  • FTSE

    7.090,72
    +9,00 (+0,13%)
     
  • HANG SENG

    26.133,94
    -101,86 (-0,39%)
     
  • NIKKEI

    27.641,83
    -139,19 (-0,50%)
     
  • NASDAQ

    14.982,50
    +29,75 (+0,20%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1192
    -0,0249 (-0,41%)
     

Facebook cria plataforma de proteção às mulheres

·2 minuto de leitura
Facebook cria plataforma de proteção às mulheres
Facebook cria plataforma de proteção às mulheres

O Facebook anunciou nesta quarta-feira (30/6) a criação de uma plataforma de segurança para mulheres ao redor do mundo. O projeto busca promover ações de conscientização para gerar ambientes menos hostis para as usuárias de suas redes sociais. É resultado de uma parceria com a ONU em comemoração ao Fórum de Geração de Igualdade, que acontece nesta semana em Paris, na França.

A plataforma de segurança para mulheres contará com ações de debate com especialistas acadêmicos para o desenvolvimento de políticas e programas que facilitem a vida das mulheres que usam os seus aplicativos como o Facebook e o Instagram. O objetivo é tornar as plataformas em ambientes seguros, evitando o assédio e a perseguição contra as usuárias. Ainda de acordo com a rede social, além dos especialistas, a plataforma contará com materiais feitos com a participação de jornalistas, ativistas sociais e mulheres que sofreram abusos online e offline.

Filtros de proteção

No blog oficial da rede social, a líder de planejamento de medidas de segurança às mulheres no Facebook, Cindy Southworth, explicou que as ações de conscientização são apenas uma das medidas tomadas para a criação de um ambiente de proteção para as mulheres. A plataforma também contará com vídeos institucionais que explicam às usuárias como utilizar a tecnologia de detecção proativa de conteúdo, bloqueando automaticamente mensagens e publicações consideradas ofensivas.

De acordo com a executiva, um ótimo exemplo desta tecnologia está na função de palavras escondidas do Instagram que permite que as pessoas filtrem mensagens potencialmente ofensivas de sua timeline.

“Temos tecnologia sofisticada para combater o compartilhamento de imagens íntimas não consensuais e desenvolvemos uma variedade de recursos para ajudar a garantir que todas as mulheres se sintam seguras ao usar nossa plataforma. Graças ao feedback dos usuários e aos especialistas que consultamos, estamos constantemente avaliando a eficácia de nossas ferramentas e buscando novas opções para capacitar as mulheres online”, comentou.

O centro de proteção às mulheres do Facebook já está ativo e pode ser acessado em sua versão em inglês. De acordo com a rede social, nos próximos meses, os conteúdos dispostos na plataforma serão traduzidos para mais de 55 línguas, incluindo o português.

Imagem: Facebook

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos