Mercado fechará em 3 h 29 min
  • BOVESPA

    121.908,33
    +27,51 (+0,02%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.294,16
    +74,90 (+0,15%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,21
    +0,84 (+1,28%)
     
  • OURO

    1.866,20
    +28,10 (+1,53%)
     
  • BTC-USD

    43.461,54
    -4.085,26 (-8,59%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.204,91
    +6,99 (+0,58%)
     
  • S&P500

    4.154,47
    -19,38 (-0,46%)
     
  • DOW JONES

    34.265,41
    -116,72 (-0,34%)
     
  • FTSE

    7.032,85
    -10,76 (-0,15%)
     
  • HANG SENG

    28.194,09
    +166,52 (+0,59%)
     
  • NIKKEI

    27.824,83
    -259,67 (-0,92%)
     
  • NASDAQ

    13.248,00
    -139,00 (-1,04%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4001
    -0,0039 (-0,06%)
     

Facebook ataca desinformação sobre tratamentos sem eficácia da Covid-19

Marcus Couto
·1 minuto de leitura
  • O Facebook anunciou um novo sistema para evitar o espalhamento de desinformação na plataforma.

  • Empresa vai se concentrar em identificar posts que falam sobre supostos tratamentos da COVID-19.

  • Facebook anunciou que vai marcar esses conteúdos como desinformativos.

O Facebook, maior rede social online do mundo, anunciou nesta semana um novo sistema que tem como objetivo combater a desinformação em torno da COVID-19, doença causada pelo novo coronavírus. As informações são da Exame. 

Leia também:

Mais especificamente, o Facebook vai atuar contra o espalhamento de desinformação sobre supostos tratamentos – comprovadamente sem eficácia – contra a doença, como o uso de medicamentos não prescritos, entre eles a ivermectina e a cloroquina.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Finanças no Google News

Sistema contra desinformação

A empresa anunciou que conteúdos que forem postados no Facebook e no Instagram, também sua propriedade, que forem detectados como espalhando notícias falsas sobre esses supostos tratamentos passarão a receber um selo indicativo de conteúdo desinformativo.

Links com referências para informações científicas da Organização Mundial da Saúde e do centro de informação do Facebook serão também fornecidos.

"Além disso, a plataforma remove alegações comprovadamente falsas sobre a doença, como por exemplo, que ela foi criada por humanos e que pegar covid-19 é mais seguro do que tomar a vacina”, explica a empresa em nota.

Segundo o Facebook, mais de 16 milhões de posts com desinformação sobre a Covid-19 já foram removidas do Facebook e do Instagram.

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos

Siga o Yahoo Finanças no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube