Mercado fechado
  • BOVESPA

    113.720,48
    +1.438,20 (+1,28%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.448,69
    +110,35 (+0,21%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,22
    +0,99 (+1,37%)
     
  • OURO

    1.746,90
    -31,90 (-1,79%)
     
  • BTC-USD

    44.672,90
    +1.338,09 (+3,09%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.119,26
    +10,34 (+0,93%)
     
  • S&P500

    4.448,98
    +53,34 (+1,21%)
     
  • DOW JONES

    34.764,82
    +506,50 (+1,48%)
     
  • FTSE

    7.078,35
    -5,02 (-0,07%)
     
  • HANG SENG

    24.510,98
    +289,44 (+1,19%)
     
  • NIKKEI

    29.639,40
    -200,31 (-0,67%)
     
  • NASDAQ

    15.308,00
    +144,50 (+0,95%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2261
    +0,0173 (+0,28%)
     

Facebook apoia o Real digital, mas segue de olho em stablecoins

·3 minuto de leitura
Yana Dumaresq, diretora do Facebook na América Latina em evento do Banco Central do Brasil
Yana Dumaresq, diretora do Facebook na América Latina em evento do Banco Central do Brasil

De acordo com a diretora do Facebook na América Latina, Yana Dumaresq, a rede social criada por Mark Zuckerberg apoia o Real digital no Brasil, apesar de algumas dúvidas sobre a nova moeda que está sendo planejada pelo Banco Central do Brasil.

Vale notar que o Facebook já atua no setor de pagamentos globais desde 2009, com uma experiência na área de pagamentos pela internet. No Brasil, a companhia já processa pagamentos com empresa legalizada no Brasil e atendendo às regulamentações locais, lembrou a diretora.

Dumaresq é ex-funcionária do governo brasileiro, com experiência nos Ministérios da Indústria e de Economia. Nesta quinta-feira (19), o 2.º Webinário sobre o Real Digital, com temas de Cidadania, segurança de dados, sigilo e rastreabilidade foi apresentado pelo BCB.

Diretora do Facebook lembrou que empresa apoia o Real digital, o CBDC brasileiro

Conforme Yana Dumaresq, o sistema financeiro tradicional impõe um alto custo para se manter. Além disso, várias pessoas seguem fora dos bancos no Brasil.

Com tudo isso em destaque, a diretora do Facebook na América Latina afirmou que o Real digital tem um grande potencial de melhorar o sistema financeiro, com uso de tecnologias. Ela lembrou que os desbancarizados, em sua maioria, possuem acesso a smartphones, o que pode representar uma oportunidade para as inovações.

Ela lembrou que o Facebook Financial espera trabalhar em conjunto com as regulamentações, com moedas digitais de alta qualidade e boas infraestruturas com carteiras digitais inclusivas.

Representando o Facebook no evento do Banco Central do Brasil, Yana lembrou que a rede social apoia a CBDC, considerando essa inovação muito importante. Mas ela ponderou que em conversas com o BCB, a companhia pede que a autarquia brasileira crie um sistema que dê suporte a interoperabilidade.

Mesmo assim, ela lembrou que a estratégia da empresa está ligada a todos os CBDCs de bancos centrais pelo mundo. Alguns poderão não atender as demandas do Facebook, o que pode atrapalhar para que a empresa dê suporte.

“A gente encoraja CBDCs, mas estamos de olho nas stablecoins”

A diretora do Facebook lembrou que apesar de apoiar o Real digital e outras CBDCs pelo mundo, a companhia observa com entusiasmo as criptomoedas estáveis, conhecidas popularmente como stablecoins.

Às duas maiores em valor de mercado hoje são a Tether (USDT) e USD Coin (USDC), emitidas por grandes empresas do mercado de criptomoedas.

Vale notar que para entrar na mira do Facebook, as stablecoins devem seguir a regulamentação e ter reservas financeiras sólidas no mercado. Dessa forma, a gigante empresa está acompanhando este setor atentamente.

“O X da questão aqui é nós estarmos imersos em um ecossistema regulatório transparente, proporcional, suficiente para endereçar os riscos neste setor. Mas do ponto de vista do mercado e de empresas como o Facebook é uma grande oportunidade que será perseguida”.

Deste evento apresentado pelo Banco Central do Brasil no seu YouTube oficial, participaram também a professora da PUCSP, Dora Kaufman e a Diretora de Recuperação de Ativos e Cooperação Jurídica Internacional do Ministério da Justiça e Segurança Pública, Silvia Amelia Fonseca de Oliveira.

Fonte: Livecoins

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos