Mercado fechado
  • BOVESPA

    128.405,35
    +348,13 (+0,27%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.319,57
    +116,77 (+0,23%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,50
    +0,46 (+0,65%)
     
  • OURO

    1.763,90
    -10,90 (-0,61%)
     
  • BTC-USD

    36.061,93
    -382,40 (-1,05%)
     
  • CMC Crypto 200

    888,52
    -51,42 (-5,47%)
     
  • S&P500

    4.166,45
    -55,41 (-1,31%)
     
  • DOW JONES

    33.290,08
    -533,37 (-1,58%)
     
  • FTSE

    7.017,47
    -135,96 (-1,90%)
     
  • HANG SENG

    28.801,27
    +242,68 (+0,85%)
     
  • NIKKEI

    28.964,08
    -54,25 (-0,19%)
     
  • NASDAQ

    14.103,00
    -62,50 (-0,44%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0361
    +0,0736 (+1,23%)
     

Facebook anuncia plataforma que mostra taxas cobradas pela Apple e Google

·2 minuto de leitura
Facebook anuncia plataforma que mostra taxas cobradas pela Apple e Google
Facebook anuncia plataforma que mostra taxas cobradas pela Apple e Google

O CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, anunciou poucas horas antes da Conferência Mundial de Desenvolvedores da Apple que a rede social lançará uma plataforma que mostra aos criadores como as diferentes taxas cobradas afetam a receita de suas invenções.

Segundo o site The Verge, o criador do Facebook não confirmou qual a data de lançamento da nova ferramenta. No entanto, deixou claro que eventos on-line pagos, assinaturas de fãs, emblemas e os “próximos produtos de notícias independentes” se manterão gratuitos para criadores até 2023.

Prévia da nova plataforma do Facebook
Prévia da nova plataforma do Facebook. Imagem: Divulgação/Facebook

A iniciativa faz parte da política adotada pelo Facebook em agosto, onde a empresa prometeu não cobrar por estes recursos até “pelo menos” 2021. Zukerberg também apontou que a empresa futuramente introduzirá uma participação nos lucros, mas será menos do que os 30% que a Apple e outros cobram.

Leia também!

A briga entre Facebook e Apple é antiga

Com a chegada do iOS 14.5 nos iPhones no final de abril, aplicativos como Facebook e Instagram foram forçados a pedir permissão aos usuários para rastrear atividades em outros sites e apps. Mas para evitar que os indivíduos recusem a coleta de dados dos aplicativos, as redes sociais de Mark Zuckerberg ameaçaram tornarem seus serviços pagos.

Nas mensagens com os novos termos de uso de Facebook e Instagram, os apps reforçam que as atividades coletadas em outros sites e aplicativos ajudam a manter os serviços “livres de cobrança”.

Zuckerberg manifestou seu descontentamento com a nova política da Apple. Isso porque o App Tracking Transparency, disponibilizado no iOS 14.5, exige que os apps peçam permissão para coletar os dados dos usuários, o que pode limitar a prática. Consequentemente, a ferramenta vai afetar o disparo de anúncios personalizados, que corresponde a 97% dos valores obtidos anualmente pelo Facebook.

Em janeiro, Mark Zuckerberg afirmou que a medida da Apple claramente visa “seus interesses competitivos”, além de prejudicar negócios de empresas menores no Facebook e no Instagram.

O CEO do Facebook afirmou ainda que o App Tracking Transparency poderá encarecer a internet, já que diversos apps gratuitos, dependentes da publicidade, poderão se tornar pagos pela diminuição das receitas.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos