Mercado fechado
  • BOVESPA

    117.669,90
    -643,33 (-0,54%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.627,67
    -560,48 (-1,16%)
     
  • PETROLEO CRU

    59,34
    -0,26 (-0,44%)
     
  • OURO

    1.744,10
    -14,10 (-0,80%)
     
  • BTC-USD

    60.790,55
    +2.204,96 (+3,76%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.235,89
    +8,34 (+0,68%)
     
  • S&P500

    4.128,80
    +31,63 (+0,77%)
     
  • DOW JONES

    33.800,60
    +297,03 (+0,89%)
     
  • FTSE

    6.915,75
    -26,47 (-0,38%)
     
  • HANG SENG

    28.698,80
    -309,27 (-1,07%)
     
  • NIKKEI

    29.768,06
    +59,08 (+0,20%)
     
  • NASDAQ

    13.811,00
    +63,25 (+0,46%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7625
    +0,1276 (+1,92%)
     

Facebook anuncia medidas rígidas contra grupos de ódio e desinformação

Ramon de Souza
·2 minuto de leitura

Não é de hoje que o Facebook vem se esforçando para diminuir o uso do recurso Grupos para a propagação de desinformação e discursos de ódio — porém, nesta quarta-feira (17), a companhia anunciou algumas medidas ainda mais drásticas para evitar que os internautas tenham contato com conteúdos considerados nocivos. O anúncio foi feito por Tom Alison, diretor de engenharia da companhia, em um comunicado oficial.

Até então, tudo o que a plataforma havia feito era “esconder” comunidades que tratem de assuntos cívicos e políticos das buscas para usuários dos EUA (embora ainda fosse possível convidar um amigo diretamente); agora, tal política será expandida a nível global. A ideia é que quanto mais um grupo viole as regras do serviço, mais “para baixo” ele aparecerá nos resultados de pesquisas.

“Sabemos que temos uma grande responsabilidade quando amplificamos as recomendações de conteúdo. Enquanto trabalhamos para garantir que Grupos com conteúdo potencialmente nocivo ou de baixa qualidade não sejam recomendados às pessoas, ao mesmo tempo, tentamos tomar cuidado para não penalizar Grupos de alta qualidade que abordam assuntos similares”, explica o executivo.

<em>Imagem: Divulgação/Facebook</em>
Imagem: Divulgação/Facebook

Um novo recurso bastante útil é o aviso de conteúdo nocivo em potencial: ao tentar entrar em uma comunidade que violou as políticas do Facebook repetidamente, o internauta receberá um aviso e poderá repensar se deseja realmente participar daquele círculo ou não. “Limitaremos as notificações de convite para esses Grupos, a fim de que seja menos provável que as pessoas comecem a participar deles”, diz Alison.

Ademais, em grupos que possuem um número substancial de postagens tóxicas, os administradores e moderadores serão obrigados a revisar aquele conteúdo antes que ele vá para o ar. Por fim, membros infratores poderão ser bloqueados e impedidos de publicar coisas em qualquer grupo que participe — mesmo naqueles que tratem sobre outro tema completamente distinto.

“Ele também não será capaz de convidar outras pessoas para nenhum grupo e não poderá criar novos grupos. O objetivo dessas medidas é ajudar a diminuir o alcance que buscam usar nossas plataformas com propósitos nocivos, além de aprimorar as restrições existentes que implementamos no ano passado. Sempre podemos fazer mais para manter os Grupos do Facebook seguros”, finaliza.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: