Mercado fechado
  • BOVESPA

    113.282,67
    -781,69 (-0,69%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.105,71
    -358,56 (-0,70%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,95
    +0,65 (+0,89%)
     
  • OURO

    1.750,60
    +0,80 (+0,05%)
     
  • BTC-USD

    42.539,32
    -183,32 (-0,43%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.067,20
    -35,86 (-3,25%)
     
  • S&P500

    4.455,48
    +6,50 (+0,15%)
     
  • DOW JONES

    34.798,00
    +33,18 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.051,48
    -26,87 (-0,38%)
     
  • HANG SENG

    24.192,16
    -318,82 (-1,30%)
     
  • NIKKEI

    30.248,81
    +609,41 (+2,06%)
     
  • NASDAQ

    15.319,00
    +15,50 (+0,10%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2556
    +0,0306 (+0,49%)
     

Facebook afirma que ajuda a reduzir a "hesitação" sobre as vacinas anticovid-19

·2 minuto de leitura
En esta ilustración fotográfica, una persona mira un teléfono inteligente con el logotipo de la red social Facebook en el fondo, el 17 de agosto de 2021.

O Facebook disse nesta quarta-feira (18) que a "hesitação" em relação às vacinas contra o coronavírus está diminuindo nos Estados Unidos e em outros países, dizendo que seus esforços para filtrar informações incorretas e promover dados confiáveis ajudam nessa tendência.

Ao publicar seu relatório de transparência trimestral, o Facebook observou que os dados mais recentes mostram que as dúvidas sobre a vacinação caíram 50% entre os usuários americanos da rede social, com quedas significativas em outros países.

A notícia chega um mês após o início de uma disputa pública entre o Facebook e a Casa Branca, depois que o presidente Joe Biden alegou que o Facebook estava "matando pessoas" ao permitir a disseminação de informações incorretas sobre vacinas.

O Facebook disse que removeu cerca de 20 milhões de peças de conteúdo, emitiu avisos para milhões de postagens e bloqueou 3.000 contas por violar suas políticas de desinformação sobre a covid-19, enquanto, ao mesmo tempo, conectava os usuários a fontes confiáveis de informações de saúde.

"Estamos focados em resultados, que acreditamos ser a maneira certa de avaliar os resultados finais", disse o vice-presidente de integridade do Facebook, Guy Rosen, a repórteres.

“Por exemplo, para as pessoas nos Estados Unidos no Facebook, a dúvida sobre as vacinas caiu em 50% e, da mesma forma, vimos um aumento nas avaliações de vacinas em todo o mundo”, explicou ele.

Os dados vêm de uma pesquisa de longa data com usuários do Facebook conduzida com a Universidade Carnegie Mellon e a Universdade de Maryland.

“Isso tudo é um movimento na direção certa”, disse o executivo. Rosen observou que 18 milhões de pessoas usaram molduras de perfil do Facebook que promovem a vacinação.

Quase 60% da população dos EUA, ou mais de 198 milhões de pessoas, já recebeu pelo menos uma dose da vacina.

Nesta quarta-feira, autoridades de saúde locais garantiram que as pessoas que foram vacinadas contra o coronavírus com Pfizer e Moderna nos Estados Unidos poderão receber uma terceira dose a partir de 20 de setembro.

rl/ft/llu/lda/ap

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos