Mercado fechado

Após prisão de Queiroz, Ministro da Justiça é chamado ao Palácio do Planalto

Foto: Andressa Anholete/Getty Images

Horas após a prisão do policial militar aposentado Fabrício Queiroz, ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) e amigo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), o ministro da Justiça, André Mendonça, foi chamado ao Palácio do Planalto.

Mendonça cancelou compromissos que estavam em sua agenda para se dirigir à sede do governo federal.

Leia também

Queiroz foi preso na manhã desta quinta-feira (18) em Atibaia, no interior de São Paulo. Ele estava em um imóvel do advogado Frederick Wassef, responsável pelas defesas de Flávio e do presidente Bolsonaro.

Wassef é figura constante no Palácio da Alvorada, residência oficial da Presidência, e em eventos no Palácio do Planalto.

Queiroz é investigado por participação em suposto esquema de "rachadinha" na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro, no gabinete do então deputado estadual Flávio Bolsonaro.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

"Rachadinha" é quando funcionários são coagidos a devolver parte de seus salários. O filho de Bolsonaro foi deputado estadual de fevereiro de 2003 a janeiro de 2019.

A operação que prendeu Queiroz em SP foi comandada pelo delegado Nico Gonçalves, chefe do Dope (Departamento de Operações Policiais Estratégicas) da Polícia Civil. Segundo ele disse à GloboNews, Queiroz estaria na casa do advogado há cerca de um ano.

Versão do advogado é contestada

O Ministério Público do Rio de Janeiro prendeu no início desta quinta-feira (18) o ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), Fabrício Queiroz, que estava numa residência em Atibaia, no interior paulista. De acordo com a Polícia Civil, em entrevista à Globonews, há informações de que Queiroz morava no local há cerca de um ano.

A casa pertence a Frederick Wassef, advogado de Jair Bolsonaro (sem partido) e Flavio. Apesar de, segundo a Polícia Civil, abrigar Queiroz em sua casa, Wassef disse em setembro de 2019 que não sabia onde o ex-motorista da família Bolsonaro estava.

A casa pertence a Frederick Wassef, advogado de Jair Bolsonaro (sem partido) e Flavio. Apesar de, segundo a Polícia Civil, abrigar Queiroz em sua casa, Wassef disse em setembro de 2019 que não sabia onde o ex-motorista da família Bolsonaro estava.

***Com informações de Mariana Carneiro e Guilherme Seto, da Folhapress

Siga o Yahoo Notícias no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.