Mercado fechará em 5 h 12 min

Fábricas migram da Argentina para o Brasil em meio a crise

Marcus Couto
·2 minutos de leitura
O ministro da Economia brasileiro, Paulo Guedes, fala com o então ministro argentino, Dante Sica. (Foto: MAURO PIMENTEL / AFP via Getty Images)
O ministro da Economia brasileiro, Paulo Guedes, fala com o então ministro argentino, Dante Sica. (Foto: MAURO PIMENTEL / AFP via Getty Images)

Atualizado às 15h15 com a informação de que a L’Oréal não tem planos de fechar fábrica na Argentina. A referência feita pelo presidente Jair Bolsonaro é falsa.

Um grupo de empresas anunciou recentemente, segundo reportagem da revista Veja, que vai migrar suas operações da Argentina para o Brasil – alegando falta de condições econômicas para seguir no país vizinhos. As empresas, ligadas ao setor automotivo, anunciaram o fechamento de suas plantas argentinas, com demissões, para concentrar suas atividades em solo brasileiro.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Finanças no Google News

Segundo a Veja, as primeiras a revelarem seus planos de transição foram a gigante alemã Basf e a Axalta, duas que produzem tintas e resinas para uso na fabricação e montagem de veículos. A divulgação ocorreu na semana passada.

Leia também

Além dessas, um terceiro grupo anunciou um mesmo movimento: a francesa Saint-Gobain Sekurity, que produz vidros utilizados nos para-brisas de carros. Segundo a Veja, 150 funcionários da empresa foram dispensados com o fechamento da fábrica argentina, inaugurada em 2016 após um acordo com o então presidente Mauricio Macri. A operação argentina da Saint-Gobain Sekurity será incorporada pela unidade brasileira da empresa.

Em todos os casos, a alegação oficial para a saída é a mesma: “falta de condições econômicas”.

Mas, segundo um tuíte do presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, pode ter havido conversas de autoridades brasileiras no sentido de atrair essas empresas dos vizinhos argentinos para território brasileiro. Bolsonaro escreveu, em novembro do ano passado, que havia sido feito um “mapeamento” de empresas argentinas interessadas em fazer a mudança – multinacionais como Honda e L’Oréal.

Com a repercussão negativa da postagem, o tuíte foi apagado logo depois. A informação de que a L’Oréal fecharia uma fábrica na Argentina, porém, é falsa, como explicou a própria empresa em nota enviada ao Yahoo.

"Com relação às informações de que a L'Oréal fecha a fábrica na Argentina e transfere a produção para o Brasil, esclarecemos que este foi um artigo publicado em 2001 na imprensa. A L'Oréal produz na Argentina em parceria com um fabricante local e não há planos para mudar isso."

Siga o Yahoo Finanças no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.