Mercado fechado
  • BOVESPA

    102.224,26
    -3.586,99 (-3,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.492,52
    -1.132,48 (-2,24%)
     
  • PETROLEO CRU

    68,15
    -10,24 (-13,06%)
     
  • OURO

    1.785,50
    +1,20 (+0,07%)
     
  • BTC-USD

    54.525,43
    -3.156,61 (-5,47%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.365,60
    -89,82 (-6,17%)
     
  • S&P500

    4.594,62
    -106,84 (-2,27%)
     
  • DOW JONES

    34.899,34
    -905,04 (-2,53%)
     
  • FTSE

    7.044,03
    -266,34 (-3,64%)
     
  • HANG SENG

    24.080,52
    -659,64 (-2,67%)
     
  • NIKKEI

    28.751,62
    -747,66 (-2,53%)
     
  • NASDAQ

    16.051,00
    -315,00 (-1,92%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3485
    +0,1103 (+1,77%)
     

Faber-Castell investe em startup que realiza gamificação do aprendizado

·2 min de leitura

A Faber-Castell colhe os frutos de uma parceria com a edtech (startup de educação) Jovens Gênios para avançar na digitalização. Segundo a Época Negócios, a união teve início no final do ano passado e consiste em usar os recursos de inteligência artificial e gamificação da startup para incrementar os programas da fabricante de material escolar voltados ao aprendizado de jovens.

Em troca, a Jovens Gênios conta com a mentoria e o dinheiro da Faber-Castell para acelerar seu crescimento. A pequena empresa carioca surgiu em 2017 e em março deste ano recebeu um aporte pre-seed (para iniciar o negócio) de R$ 432 mil do fundo anjo da Domo Invest. Agora espera fechar o ano que vem com um faturamento acima de R$ 10 milhões.

A inteligência artificial da edtech é empregada em métodos de ensino com gamificação e oferecem um processo de aprendizagem personalizado aos estudantes. “Combinamos algoritmos de machine learning [aprendizado de máquina, quando o computador aprende sozinho rotinas com o tempo] com teorias pedagógicas e científicas para identificar as habilidades de cada estudante e recomendar tarefas. É um jeito divertido e individualizado de aprender”, diz Bernard Caffé, CEO da edtech.

A Jovens Gênios foi descoberta no Programa Scale-Up do fundo Endeavor (Imagem: Reprodução/stem.T4L/Unsplash)
A Jovens Gênios foi descoberta no Programa Scale-Up do fundo Endeavor (Imagem: Reprodução/stem.T4L/Unsplash)

A Faber-Castell mantém relacionamento com mais de 10 mil escolas em todo o país e criou uma área de capital de risco corporativo para descobrir boas ideias em diferentes setores da economia criativa, como mídia, cultura, design, software e outras. A Jovens Gênios foi descoberta no Programa Scale-Up do fundo Endeavor, que teve patrocínio da empresa centenária. A ideia é investir em 12 empresas de alto crescimento por quatro meses.

As duas empresas tecem elogios à parceria. “Trabalhando com as edtechs, reforçamos ainda mais o propósito de mudar o mundo por meio da educação e da criatividade”, diz Bruna Tedesco, diretora de inovação e novos negócios da Faber-Castell. “Para nós, esse relacionamento significa uma troca constante de mentorias e vivências, de uma empresa de quase 300 anos para outra de três”, diz Caffé, que afirma também que o faturamento da Jovens Gênios cresceu sete vezes desde o começo da parceria.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos