Mercado abrirá em 6 h 20 min
  • BOVESPA

    109.951,49
    +2.121,77 (+1,97%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    53.125,01
    -210,50 (-0,39%)
     
  • PETROLEO CRU

    78,54
    +0,07 (+0,09%)
     
  • OURO

    1.891,60
    +0,90 (+0,05%)
     
  • BTC-USD

    22.603,39
    -631,01 (-2,72%)
     
  • CMC Crypto 200

    520,57
    -16,32 (-3,04%)
     
  • S&P500

    4.117,86
    -46,14 (-1,11%)
     
  • DOW JONES

    33.949,01
    -207,68 (-0,61%)
     
  • FTSE

    7.885,17
    +20,46 (+0,26%)
     
  • HANG SENG

    21.458,43
    +174,91 (+0,82%)
     
  • NIKKEI

    27.572,57
    -33,89 (-0,12%)
     
  • NASDAQ

    12.591,75
    +46,50 (+0,37%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5760
    +0,0086 (+0,15%)
     

The Fabelmans | Conheça novo filme de Steven Spielberg inspirado em sua história

Acostumado a nos apresentar grandes histórias, Steven Spielberg agora quer levar a sua para as telas. Chega às salas de todo o Brasil nesta quinta-feira (12) Os Fabelmans, uma semiautobiografia do cineasta em que ele transforma suas próprias memórias de infância em cinema — e o resultado, como não poderia deixar de ser, é uma bela homenagem não só à Sétima Arte, mas também a tudo o que o influenciou a seguir por esse caminho.

O longa estreou nos Estados Unidos no ano passado e foi muito bem aclamado tanto pela crítica quanto pelo público. No Rotten Tomatoes, site que agrega a opinião da imprensa especializada em todo o mundo, o filme tem uma média de impressionantes 91%, o que já mostra que temos um novo clássico do diretor vindo aí.

E por mais que muita gente possa se incomodar com a abordagem um tanto quanto egocêntrica de Spielberg de transformar sua própria história em filme, não há como negar sua importância dentro da história do cinema e ver como essa sua paixão nasce tem o seu charme.

Uma quase biografia

Embora a gente trate Os Fabelmans como uma espécie de autobiografia de Steven Spielberg, isso não é inteiramente verdade. O cerne da história e muitos dos acontecimentos realmente fazem parte da vida do diretor, mas o longa também adota muitas liberdades poéticas, romantiza alguns pontos e cria outros para criar essa grande fábula em torno de seu personagem principal.

A começar pelo próprio nome dos personagens. Ainda que estejamos falando de um dos sobrenomes mais famosos do cinema, não espere ouvi-lo na boca dos personagens. Como o título deixa claro, toda a trama gira em torno de outra família, os Fabelmans, que carregam essa característica fabular de contar histórias já no nome, em uma brincadeira que deixa tudo ainda mais simbólico.

Filme mostra como o pequeno Sammy se apaixonou pelo cinema e a tensão familiar nascida a partir disso (Imagem: Divulgação/Universal Pictures)
Filme mostra como o pequeno Sammy se apaixonou pelo cinema e a tensão familiar nascida a partir disso (Imagem: Divulgação/Universal Pictures)

Assim, o longa conta a história de Sammy ao longo dos anos e como ele se apaixonou pelo cinema e criou uma relação com a câmera que tanto o ajudou a superar por desafios pessoas como também a fortalecer os vínculos com a própria família. E é aí que as memórias de Spielberg se fazem mais presentes.

Como todo o material promocional faz questão de destacar, é essa dinâmica entre Sammy (vivido por Mateo Zoryan e Gabriel LaBelle) com seus pais e irmãos em que o roteiro se apoia. De início, há o encantamento do garoto pela grande tela e os conflitos dos próprios pais em relação a isso. Em seguida, vemos como o destino dos próprios Fabelmans depende desse cinema.

Michelle Williams e Paul Dano vivem os pais de Sammy e são peças centrais nessas memórias de Spielberg. De um lado, a mãe incentiva o filho a mergulhar no mundo das artes e seguir seu sonho. Do outro, o pai desacredita da paixão do garoto e passa a pressioná-lo para não abrir mão de seu futuro por causa de um hobby — um dilema no qual muita gente vai se reconhecer.

Mais do que o cinema em si, história do filme é sobre como a família é peça fundamental para tornar Spielberg em quem ele é hoje (Imagem: Divulgação/Universal Pictures)
Mais do que o cinema em si, história do filme é sobre como a família é peça fundamental para tornar Spielberg em quem ele é hoje (Imagem: Divulgação/Universal Pictures)

Ao mesmo tempo, o jovem protagonista descobre um segredo dentro da própria família e usa o cinema como forma de resolver essa questão. Dessa forma, vemos o quanto as câmeras e a capacidade de criar grandes histórias é algo que sempre fez parte do DNA de Spielberg.

Grande elenco

Mas é claro que um filme tão pessoal sobre e do próprio Steven Spielberg traria também alguns grandes nomes para ajudá-lo a contar essa fábula tão intimista. Assim, além do lendário cineasta dirigir e roteirizar o longa, temos ainda grandes atores dando vida a essas memórias.

Paul Dano e Michelle Williams são os grandes destaques, mas não os únicos (Imagem: Divulgação/Universal Pictures)
Paul Dano e Michelle Williams são os grandes destaques, mas não os únicos (Imagem: Divulgação/Universal Pictures)

Paul Dano e Michelle Williams são os principais rostos que dão peso a esse elenco. Eles vivem os pais que centralizam a tensão de toda a trama e se mostram peça fundamental na construção do protagonista e sua relação com o cinema. Tanto que os trailers mostram bem o quanto a interação entre eles tende a ser bastante emocionante.

Além disso, também estão presentes nomes como David Lynch (Twin Peaks), Seth Rogen (A Entrevista) e Judd Hirsch (Joias Brutas). E, como não poderia deixar de ser em um projeto de Spielberg, a trilha sonora é assinada por seu velho amigo John Williams. Os dois já fizeram várias parcerias de sucesso no passado, incluindo clássicos como Jurassic Park, E.T. - O Extraterrestre, Tubarão e A Lista de Schindler.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: