Mercado fechado

F1: Diretor de prova afirma que uso da brita como em Mugello não funciona em todos os circuitos

Adam Cooper
·3 minutos de leitura

O diretor de prova da Fórmula 1, Michael Masi, disse que a solução de cascalho para os limites da pista vista em Mugello não pode ser aplicada em todos os circuitos, apesar de agradar os pilotos.

Ao contrário de muitas instalações modernas, Mugello tem armadilhas de cascalho que revestem grande parte do circuito, a ponto de, nas notas dos diretores de corrida emitidas para as equipes, Masi formalmente observou que “os limites da pista na saída das curvas 3, 5, 9, 11 e 15 não será monitorado, pois o limite de definição em cada um desses locais é a armadilha de cascalho”.

Leia também:

Ocon acredita que F1 aprendeu uma lição com relargada caótica em Mugello F1: Latifi diz que mudança das luzes do safety car não teria evitado engavetamento Organização do GP da Turquia de F1 anuncia recorde de vendas: 40 mil ingressos em seis horas

O assunto das áreas de escape e limites da pista se tornou um tema quente regular nas instruções dos pilotos de F1 neste ano.

No GP da Bélgica, Carlos Sainz sugeriu que o equilíbrio entre risco e recompensa estava errado depois que a grama artificial foi removida da beira da pista para ajudar Spa a ganhar uma licença da Federação Internacional de Motociclismo.

Como resultado, a penalidade foi ainda menor do que antes para qualquer piloto de F1 que escapou para fora da pista. Sainz foi um dos muitos pilotos de F1 que preferiu o arranjo de cascalho em Mugello às áreas de pista de asfalto.

“Acho ótimo ver as armadilhas de cascalho de volta”, disse o espanhol. “E provavelmente vai dar à FIA alguma confiança de que esse tipo de área de escape funciona para proteger dos limites da pista e de todos os problemas que estamos tendo em outras pistas, então foi bom ver”.

No entanto, quando questionado se as armadilhas de cascalho poderiam ser usadas de forma mais ampla, Masi ressaltou que não era possível. “Não, não podemos tê-las em todos os lugares”, disse o australiano. “Não é algo único, como já disse várias vezes. Precisamos encontrar as soluções adequadas com cada um dos proprietários e operadores de circuito”.

“E vamos continuar trabalhando nisso. Já discutimos isso com os pilotos. Então eu acho que é pedir muito. Não é a solução em todos os lugares, vamos colocar dessa forma”.

Diretor da Associação de Pilotos de Grandes Prêmios, Sebastian Vettel sugeriu que uma possível opção seria uma faixa de cascalho entre a pista e um escoamento de asfalto. “Acho que, como piloto, você prefere o fato de que, se você sair, será penalizado”, disse o piloto da Ferrari.

“Acho que torna as coisas muito mais diretas. Mas eu acho que você tem que equilibrar também o cascalho contra o asfalto para saber se as coisas dão errado”.

“Talvez possamos ter uma solução intermediária onde inicialmente você tem uma faixa de cascalho e, portanto, não adianta ir muito longe, e depois ter asfalto para ter menos escoamento, aproximar os espectadores da pista e torná-lo mais seguro para nós, para que os carros reduzam a velocidade se você perder o controle ou algo assim”.

“Não é fácil, mas com certeza com todo o asfalto em algumas pistas, isso tira o caráter e torna um pouco mais fácil cometer erros”.

VÍDEO: Entenda como quebras da Honda deixam Verstappen tenso na Red Bull

PODCAST: Motorsport.com debate a crise sem fim da Ferrari na temporada 2020 da F1

 

Your browser does not support the audio element.