Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.487,88
    +1.482,66 (+1,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.518,30
    +228,39 (+0,45%)
     
  • PETROLEO CRU

    110,35
    +0,46 (+0,42%)
     
  • OURO

    1.845,10
    +3,90 (+0,21%)
     
  • BTC-USD

    29.857,99
    +322,28 (+1,09%)
     
  • CMC Crypto 200

    650,34
    -23,03 (-3,42%)
     
  • S&P500

    3.901,36
    +0,57 (+0,01%)
     
  • DOW JONES

    31.261,90
    +8,77 (+0,03%)
     
  • FTSE

    7.389,98
    +87,24 (+1,19%)
     
  • HANG SENG

    20.717,24
    +596,56 (+2,96%)
     
  • NIKKEI

    26.739,03
    +336,19 (+1,27%)
     
  • NASDAQ

    11.838,00
    -40,25 (-0,34%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1528
    -0,0660 (-1,26%)
     

Fórmula E apresenta “o carro de corrida mais eficiente do mundo”

A experiência de sustentabilidade e velocidade da Fórmula E promete se tornar ainda maior com a apresentação do que a organização da categoria chamou de “o carro de corrida mais eficiente do mundo”. Os novos monopostos, que serão usados a partir da próxima temporada da modalidade, têm novo design e prometem ser até quatro segundos mais velozes que os atuais.

A inspiração aerodinâmica vem dos jatos de combate, com os veículos que serão usados pelas equipes deixando de lado as calotas e proteções nas rodas para assumir um design com arestas pontiagudas e asas diagonais frontais e traseiras. A referência também se traduz em um carro mais leve e rápido, que consome menos energia em um motor elétrico de 350kW, capaz de atingir até 320 quilômetros por hora.

A promessa da Fórmula E é de uma competição com ainda mais ultrapassagens a partir de 2023, com um carro estável e focado nas corridas de rua que compõem boa parte das provas da categoria. A apresentação do novo carro, inclusive, aconteceu em uma das provas desse tipo mais prestigiadas do mundo, o ePrix de Mônaco, que aconteceu no último sábado (30).

O foco na sustentabilidade vem com as estatísticas da unidade de potência, com os novos motores capazes de converter 90% de sua energia em poder mecânico, contra apenas 40% de um componente convencional. Além da bateria em si, o carro também reaproveitará a energia dos freios dianteiros e traseiros, com estes, inclusive, não contando mais com versões hidráulicas como acontece até esta temporada.

Além disso, a organização da categoria também pensou no reaproveitamento, com um planejamento de segunda vida para baterias, pneus e componentes usados na Fórmula E. Eles usam mais materiais reciclados e naturais, inclusive com partes dos atuais carros de segunda geração sendo usados para compor os veículos da terceira.

A ideia é atingir um ideal de emissão zero de carbono, sendo a primeira categoria de automobilismo a fazer isso.

Corridas roda a roda

<em>Tão rápida quanto um F1, terceira geração de carros da Fórmula E tem inspiração em jatos de combate e promete trazer o carro de corrida mais sustentável do mundo (Imagem: Divulgação/Fórmula E)</em>
Tão rápida quanto um F1, terceira geração de carros da Fórmula E tem inspiração em jatos de combate e promete trazer o carro de corrida mais sustentável do mundo (Imagem: Divulgação/Fórmula E)

As novidades empolgaram os pilotos, que já estão acostumados às ultrapassagens e disputas agressivas e gostam da ideia de que isso aconteça mais e mais. Mesmo sem as proteções nas rodas e com mais cara de monopostos, os carros de terceira geração da Fórmula E prometem competições mais ágeis e ultrapassagens bonitas.

Os chassis e as especificações dos carros são as mesmas para todas as equipes, o que faz com que elas sejam parelhas e acirrem a disputa. Além disso, existem zonas especiais de ataque que fornecem poder adicional para a bateria, enquanto os fãs também podem votar em seus pilotos preferidos para que eles tenham vantagens especiais.

Como sempre, o objetivo da competição é demonstrar o potencial dos veículos elétricos e empurrar toda essa indústria para a frente. Um dos focos principais, por exemplo, está nos sistemas de reaproveitamento de energia, com a dinâmica vistas nas pistas sendo estudada de perto para aplicação em carros de passeio.

Hoje, dois brasileiros correm na Fórmula E: Sérgio Sette Câmara e Lucas di Grassi. A categoria também tem veteranos da F1 como Antonio Giovinazzi, Pascal Wehrlein e Jean-Éric Vergne, o único bicampeão da categoria.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos