Mercado fechado
  • BOVESPA

    106.471,92
    +579,70 (+0,55%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.723,43
    -192,74 (-0,41%)
     
  • PETROLEO CRU

    88,53
    -0,01 (-0,01%)
     
  • OURO

    1.792,40
    -14,50 (-0,80%)
     
  • BTC-USD

    23.044,26
    -162,74 (-0,70%)
     
  • CMC Crypto 200

    533,20
    -2,02 (-0,38%)
     
  • S&P500

    4.145,19
    -6,75 (-0,16%)
     
  • DOW JONES

    32.803,47
    +76,65 (+0,23%)
     
  • FTSE

    7.439,74
    -8,32 (-0,11%)
     
  • HANG SENG

    20.201,94
    +27,90 (+0,14%)
     
  • NIKKEI

    28.175,87
    +243,67 (+0,87%)
     
  • NASDAQ

    13.216,50
    -110,50 (-0,83%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2666
    -0,0739 (-1,38%)
     

Fãs do Faraó dos bitcoins invadem audiência e adiam julgamento

Faraó dos Bitcoins com a boca aberta em pronunciamento
Faraó dos Bitcoins com a boca aberta em pronunciamento

Alguns fãs do faraó dos bitcoins, Glaidson Acácio dos Santos, resolveram invadir uma audiência na última terça-feira (19), adiando o julgamento de seu habeas corpus. A sessão era conduzida pelo Tribunal Federal de Justiça da 2.ª Região (TRF2).

Como tem sido comum no judiciário brasileiro, para dar celeridade a casos, plataformas digitais estão sendo utilizadas pelos magistrados, como o Zoom, por exemplo.

Dessa forma, os julgamentos podem ser acompanhados pelos réus e pelo público em geral. No caso do TRF2, o link de acesso aos casos é compartilhado com um dia de antecedência e os participantes participam apenas como ouvintes.

Para não atrapalhar o julgamento dos casos, todos os participantes são orientados a não enviar mensagens no chat e nem ficar com câmeras abertas, mas não foi bem isso que ocorreu na última terça.

Fãs do Faraó dos Bitcoins invadem audiência e causam adiamento em julgamento de seu habeas corpus

Preso há quase um ano pela Polícia Federal, Glaidson é alvo de uma investigação das autoridades federais desde então. Em vários pedidos de liberdade, ele nunca teve atendidos suas requisições, visto que o caso aponta para um possível crime contra a economia popular no Brasil.

A cargo do julgamento, o TRF2 então analisaria mais um pedido de liberdade do chamado faraó dos bitcoins na última terça. Fãs do possível esquema e apoiadores então obtiveram acesso ao link da sessão, invadindo a audiência do tribunal que tem sua sede no Rio de Janeiro.

Com várias mensagens no chat, a sala foi totalmente preenchida com 500 acessos simultâneos, pedindo a liberdade de Glaidson, mostrando apoio ao investigado e até declarando confiança que a “justiça faria o certo”, segundo informações do O Globo.

Câmeras dos fãs ficaram abertas e tumultuaram o julgamento dessa e de outras ações, causando indignação dos magistrados pela situação inusitada.

Em dado momento, o desembargador federal Flávio Lucas, presidente da Turma, pediu colaboração da plateia. Como não foi escutado, ele solicitou a remoção dos baderneiros da sessão.

O próprio presidente do TRF2 acabou sendo excluído pela equipe técnica e tumultuou ainda mais a situação. Como um novo link teve de ser gerado para continuar a transmissão da audiência, o julgamento que analisava a liberdade do faraó foi adiado para a próxima semana.

Imagens serão enviadas para o Ministério Público Federal

Após a situação em que até o juiz do TRF2 foi expulso da sala pela equipe do tribunal, em uma tentativa de conter a invasão dos fãs do Faraó dos Bitcoins, o presidente determinou o envio das imagens para o MPF.

Assim, o caso será investigado pela procuradoria, em uma interrupção que marca mais um episódio de protestos de clientes no TRF2. Em 2021, muitos deles foram presencialmente acompanhar a votação de um habeas corpus e chegaram a comemorar a liberdade de Glaidson, que era falsa.

Acusado de vários golpes na justiça federal e com problemas na esfera criminal estadual do Rio de Janeiro, Glaidson segue preso na capital do Estado.

Fonte: Livecoins

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos