Mercado abrirá em 6 h 39 min
  • BOVESPA

    109.951,49
    +2.121,77 (+1,97%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    53.125,01
    -210,50 (-0,39%)
     
  • PETROLEO CRU

    78,43
    -0,04 (-0,05%)
     
  • OURO

    1.891,10
    +0,40 (+0,02%)
     
  • BTC-USD

    22.569,14
    -681,02 (-2,93%)
     
  • CMC Crypto 200

    519,66
    -17,23 (-3,21%)
     
  • S&P500

    4.117,86
    -46,14 (-1,11%)
     
  • DOW JONES

    33.949,01
    -207,68 (-0,61%)
     
  • FTSE

    7.885,17
    +20,46 (+0,26%)
     
  • HANG SENG

    21.361,95
    +78,43 (+0,37%)
     
  • NIKKEI

    27.560,08
    -46,38 (-0,17%)
     
  • NASDAQ

    12.595,00
    +49,75 (+0,40%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5767
    +0,0093 (+0,17%)
     

Exynos 2200 supera Snapdragon 8 Gen 2 em teste de Ray Tracing

Mesmo que tenha sido apresentado há um ano para equipar a linha Galaxy S22 em alguns mercados, o Exynos 2200 ainda oferece uma performance melhor que as plataformas atuais da Qualcomm em Ray Tracing. Resultados vistos no In Vitro, app voltado para benchmarks do tipo, mostram que a diferença é perceptível ao longo de diversas baterias de testes.

Exynos 2200 tem média de quadros mais alta ao longo dos testes (Imagem: Android Authority)
Exynos 2200 tem média de quadros mais alta ao longo dos testes (Imagem: Android Authority)

Avaliado em um Galaxy S22 Ultra, o processador produzido pela Samsung em colaboração com a AMD obteve uma média de 21,6 fps durante os testes. Enquanto isso, o Snapdragon 8 Gen 2 do Red Magic 8 Pro chegou a 17,6 fps em média.

A plataforma da Qualcomm até obteve melhores resultados no pico da taxa de quadros, com 42 fps contra 30,3 fps. Porém, o valor mínimo ficou em 13,3 x 16,4 fps, respectivamente.

Exynos 2200 mostrou dificuldade para manter desempenho

Plataforma da Samsung foi de 16 para 10 fps em um intervalo de dois testes (Imagem: Android Authority)
Plataforma da Samsung foi de 16 para 10 fps em um intervalo de dois testes (Imagem: Android Authority)

Os resultados são coerentes com algumas afirmações anteriores da Samsung, que apontava a superioridade de sua plataforma para o Ray Tracing. De fato, o Exynos 2200 parece estar uma geração à frente de seu tempo.

Mesmo assim, ele mostrou dificuldades para manter o desempenho já a partir da quarta repetição do teste, apresentando quedas consecutivas a cada nova repetição. A partir da rodada de número 17, o Exynos perdeu performance de forma significativa por conta da necessidade de gerenciamento térmico, e ficou atrás do Snapdragon.

Nesta situação, o processador da Samsung caiu para apenas 10 fps de média, pouco mais da metade do registrado apenas dois testes antes. Enquanto isso, o chipset da Qualcomm já tinha se estabilizado em 14 fps desde o 9º teste.

Chipset Exynos 2200 foi apresentado em 2022 e equipa linha Galaxy S22 em alguns mercados (Imagem: Divulgação/Samsung)
Chipset Exynos 2200 foi apresentado em 2022 e equipa linha Galaxy S22 em alguns mercados (Imagem: Divulgação/Samsung)

Em geral, também é possível afirmar que a tecnologia de Ray Tracing em smartphones ainda tem muito a evoluir — afinal, jogar em aproximadamente 15 a 30 fps não é exatamente uma experiência agradável. Além disso, ainda não há sequer um jogo consolidado com a tecnologia na Play Store.

Os testes de Ray Tracing ainda são limitados a poucos dispositivos do mercado, já que modelos com Snapdragon 8 Gen1/Dimensity 9000 e anteriores não possuem essa capacidade. Além disso, outras especificações mínimas incluem o Android 12 ou mais recente, Vulkan 1.1, compressão ETC2 e pelo menos 3 GB de memória unificada.

A linha Galaxy S23, que será apresentada em 1º de fevereiro, não deve ter versões com processadores Exynos — afinal, todos os modelos contarão com o Snapdragon 8 Gen 2, supostamente em uma versão de clocks mais altos. Mesmo assim, a Samsung já estaria trabalhando em um Exynos 2300 para o futuro, e pode apresentá-lo no Galaxy S22 FE.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: