Mercado abrirá em 8 mins

Extinction Rebellion inicia protestos em direção ao Parlamento britânico

ISABEL INFANTES
·2 minutos de leitura
Ativistas do grupo Extinction Rebellion vestem equipamento de proteção enquanto fazem performance durante protesto no centro de Londres
Ativistas do grupo Extinction Rebellion vestem equipamento de proteção enquanto fazem performance durante protesto no centro de Londres

Milhares de ativistas do movimento ambientalista Extinction Rebellion (XR) marcharam, nesta terça-feira (1o), até o Parlamento de Londres para questionar os deputados e denunciar a política do governo de Boris Johnson para a emergência climática, no primeiro de dez dias de protestos previstos.

"Queremos viver", "salvem meu futuro", diziam os cartazes dos manifestantes que, usando máscaras e tentando manter a distância entre um e outro por causa do coronavírus, reuniram-se na praça em frente ao Parlamento de Westminster, no momento em que os deputados voltavam ao trabalho após as férias.

Outro grupo de ativistas realizou um ato em frente à sede da concessionária do transporte público de Londres TFL para denunciar o projeto de construir um túnel sob o Tâmisa: colocaram 26 pares de sapatos no chão, representando as mortes atribuídas diariamente à poluição atmosférica na capital.

"O governo não está fazendo o necessário para garantir a segurança das pessoas. Sua negligência criminosa está colocando vidas em risco", disse em comunicado este movimento, que planeja realizar atos durante dez dias, após organizar várias manifestações no fim de semana contra projetos de ampliações aeroportuárias.

"Não se deve permitir que continuem assim", destacou o XR, apelando para agir "agora". 

A polícia de Londres impôs restrições, estipulando que os protestos deveriam ser realizados entre 8h e 19h e sem passar pelas principais avenidas em torno da Parliament Square. Alertou também que não toleraria fortes perturbações no trânsito, que se tornaram a marca dos protestos anteriores do movimento.

No total, 65 manifestantes foram presos por infrações à ordem pública.

Antes desses novos atos, quatro membros do grupo, incluindo seu cofundador Roger Hallam, foram acusados de conspiração para causar danos criminosos e permanecem em prisão provisória.

Em 2019, o XR realizou atos de confronto no Reino Unido e em todo mundo, batizados de "Autumn Uprising" (Revolta de Outono, em tradução livre).

Devido a uma série de protestos no centro financeiro de Londres, a polícia proibiu as ações dessa "revolta" na capital britânica, justificando com a "grave perturbação" que haviam causado.

Ao todo, 1.828 pessoas ligadas ao movimento de protesto foram presas em dez dias em Londres, segundo a polícia.

pho-acc/mis/aa/tt