Mercado fechará em 6 h 51 min

Exterior positivo leva Ibovespa a romper mais um recorde

Juliana Machado

O principal índice da bolsa de valores subiu 0,46%, aos 111.126 pontos O Ibovespa terminou a primeira semana de dezembro em clima de otimismo e euforia. Com mais um dia de negócios positivos no exterior e com a continuidade da demanda local por ações, de olho no crescimento da atividade, o principal índice da bolsa de valores subiu 0,46%, aos 111.126 pontos — um novo recorde. O giro financeiro também foi relevante no dia, ao somar R$ 12,9 bilhões, levemente acima da média diária negociada dos pregões deste ano.

Até então, o Ibovespa nunca havia fechado na faixa dos 111 mil pontos. Na máxima de hoje, o índice também superou o recorde intradiário, ao bater os 111.430 pontos. No acumulado da semana, o índice teve alta de 2,67%. Em cinco pregões, 56 papéis dos 68 integrantes do Ibovespa terminaram em alta, enquanto apenas 12 caíram.

No exterior, o anúncio de que os Estados Unidos criaram 266 mil vagas de trabalho em novembro surpreendeu os mercados ao redor do mundo e garantiu um ânimo extra ao Ibovespa, que consolidou seu quinto pregão consecutivo de alta. Embora, de um lado, isso possa mudar as perspectivas para a condução da política monetária americana, a grande preocupação do mercado agora parece ser quanto a uma possível recessão — e, quanto mais os dados mostram melhora, mais distante esse medo fica.

Também hoje nos EUA, o mercado soube que a taxa de desemprego no país recuou 3,5%, assim como foram observados ganhos na média de hora trabalhada (3,1%) e revisão para cima nos números de novos empregos criados em outubro e setembro. Com a economia americana ainda saudável e longe de uma recessão, portanto, alimenta-se a busca por ativos de risco no mundo.

A isso se soma a história positiva de Brasil que, nesta semana, foi reforçada pelo Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro acima do esperado no terceiro trimestre e pelos dados de produção industrial. Com a expectativa de que a retomada da atividade possa começar já no quarto trimestre deste ano e prosseguir ao longo de 2020, os investidores locais também seguem firmes na demanda por ações.

No destaque do dia, a Via Varejo subiu 7,30%, maior alta do Ibovespa, seguida por Lojas Americanas, com ganho de 7,07%. As duas empresas colhem os frutos do bom desempenho na Black Friday e, no caso da Via Varejo, das recentes reestruturações na gestão da empresa, que fez dela uma das mais procuradas pelos investidores nas últimas semanas.

Para analistas, as duas varejistas com foco no e-commerce se beneficiam não apenas do momento econômico melhor, de olho no ciclo doméstico, mas também de seu potencial de alta quando comparada a seus pares. A Magazine Luiza, por exemplo, parece precificar melhor o momento de mercado, enquanto Via Varejo é apontada pelos especialistas como a mais descontada, mesma situação da Lojas Americanas, que é controladora da B2W.

B3, em São Paulo

Reprodução / Facebook