Mercado fechado
  • BOVESPA

    117.669,90
    -643,33 (-0,54%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.627,67
    -560,48 (-1,16%)
     
  • PETROLEO CRU

    59,34
    -0,26 (-0,44%)
     
  • OURO

    1.744,10
    -14,10 (-0,80%)
     
  • BTC-USD

    60.666,09
    +2.162,63 (+3,70%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.235,89
    +8,34 (+0,68%)
     
  • S&P500

    4.128,80
    +31,63 (+0,77%)
     
  • DOW JONES

    33.800,60
    +297,03 (+0,89%)
     
  • FTSE

    6.915,75
    -26,47 (-0,38%)
     
  • HANG SENG

    28.698,80
    -309,27 (-1,07%)
     
  • NIKKEI

    29.768,06
    +59,08 (+0,20%)
     
  • NASDAQ

    13.811,00
    +63,25 (+0,46%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7625
    +0,1276 (+1,92%)
     

Exterior impulsiona Ibovespa, com mineração e siderurgia em destaque

Paula Arend Laier
·3 minuto de leitura
Sede B3

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - A bolsa paulista mantinha o viés positivo nesta sexta-feira, beneficiada pelo clima mais favorável no exterior, com alta de preços de commodities, o que colocava as ações da Vale entre as maiores altas do Ibovespa.

A temporada de balanços, que se aproxima do final, trouxe os números de Sabesp e CPFL Energia, enquanto, em Brasília, o Congresso Nacional aprovou na quinta-feira a proposta de Lei Orçamentária Anual (LOA) de 2021.

Às 11:04, o Ibovespa subia 1,36%, a 115.292,36 pontos. Ainda assim, caminhava para fechar a semana no vermelho, com declínio de 0,8% até o momento. O volume financeiro nesta sessão era de 5,7 bilhões de reais.

Wall Street abriu em alta nesta sexta-feira com os investidores comprando ações de energia e bancos, diante das apostas no que deve ser o crescimento econômico mais rápido desde 1984 no país.

Na visão da Ágora Investimentos, o bom humor dos mercados internacionais pode dar fôlego ao Ibovespa.

Da cena brasileira, a equipe da corretora destacou que, embora a aprovação do Orçamento de 2021 ser uma notícia positiva, ações adotadas na proposta que apresentam indícios de fuga das restrições do teto de gastos acendem sinal de alerta.

O último pregão da semana também tinha no radar anúncio do Instituto Butantan de que pedirá nesta sexta-feira à Anvisa autorização para testar em humanos a Butanvac, sua vacina própria contra a Covid-19.

O Brasil registrou na quinta-feira recorde de 100.158 novos casos de coronavírus, elevando o total a 12.320.169, com 2.777 novas mortes, totalizando 303.462 vítimas fatais desde o começo da pandemia.

DESTAQUES

- VALE ON subia 2,99%, na esteira da alta dos contratos futuros de minério de ferro negociado na Ásia, que conquistaram seu primeiro ganho semanal em quatro semanas, já que a queda nos estoques de aço e o aumento da demanda na China elevaram o ânimo em relação à matéria-prima siderúrgica. No setor de mineração e siderurgia, GERDAU PN avançava 5,48%, seguida por CSN ON e USIMINAS PNA.

- PETROBRAS PN tinha elevação de 2,5%, também beneficiada pelo aumento dos preços do petróleo no exterior, onde o Brent subia 3,52%. No setor, PETRORIO ON valorizava-se 5,17%.

- SANTANDER BRASIL UNIT avançava 3,11%, puxando o desempenho positivo de papéis de bancos, com ITAÚ UNIBANCO PN em alta de 1,17% e BRADESCO PN subindo 0,79%. Executivo do Santander na Espanha afirmou mais cedo que a performance dos negócios na América Latina deve ficar acima das expectativas.

- CPFL ENERGIA ON caía 2,92%, mesmo após reportar alta de 15,5% no lucro do quarto trimestre, ajudada por efeitos de um acordo entre empresas de energia e o governo sobre o chamado risco hidrológico na operação de usinas. O índice do setor elétrico oscilava ao redor da estabilidade, tendo ainda no radar revisão para baixo da carga de energia do Brasil em 2021.

- COGNA ON recuava 1,75%, após adiar a divulgação do balanço do último trimestre de 2020, que estava previsto para esta sexta-feira. A empresa de educação programou a apresentação do resultado para a próxima quarta-feira antes da abertura dos mercados. No setor, YDUQS ON cedia 1,15%.