Mercado fechado
  • BOVESPA

    113.282,67
    -781,69 (-0,69%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.105,71
    -358,56 (-0,70%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,95
    +0,65 (+0,89%)
     
  • OURO

    1.750,60
    +0,80 (+0,05%)
     
  • BTC-USD

    42.504,00
    +6,23 (+0,01%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.067,20
    -35,86 (-3,25%)
     
  • S&P500

    4.455,48
    +6,50 (+0,15%)
     
  • DOW JONES

    34.798,00
    +33,18 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.051,48
    -26,87 (-0,38%)
     
  • HANG SENG

    24.192,16
    -318,82 (-1,30%)
     
  • NIKKEI

    30.248,81
    +609,41 (+2,06%)
     
  • NASDAQ

    15.319,00
    +15,50 (+0,10%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2556
    +0,0306 (+0,49%)
     

Exposições de dados caem no segundo trimestre de 2021

·2 minuto de leitura

Um novo estudo da Axur, especialista em monitoramento, detecção e derrubada de riscos digitais na internet no Brasil, traz uma boa notícia: no segundo semestre de 2021, houve redução de 87,6% em exposição de dados em relação aos três meses anteriores. Segundo o Relatório de Vazamento de Dados no Brasil foram divulgados 465,5 milhões de registros tanto de empresas privadas quanto de órgãos governamentais.

Apesar disso, houve crescimento na exposição de credenciais de órgãos do governo. A alta foi de 236,75% em comparação com os três primeiros meses do ano. O número de CPFs expostos subiu 89% no período e representa 82,9% do total. O maior aumento, entretanto, foi na divulgação de dados de passaportes: 1.392,5%. Nos três primeiros meses de 2021, foram 21 mil documentos, enquanto entre abril e junho foram quase 317 mil.

A divulgação de e-mails e senhas aumentou 220% em relação ao primeiro trimestre do ano: foram 181,5 milhões de ocorrências. Os dados incluem tanto empresas privadas quanto estatais, mas a maior fatia é relacionada ao governo: a incidência passou de 47.654 entre janeiro e março para 160.569 entre abril e junho. Entre as companhias brasileiras, o crescimento foi de 176,88%.

Exposição de e-mails e senhas. Imagem: Divulgação/Axur
Exposição de e-mails e senhas. Imagem: Divulgação/Axur

Fabio Ramos, CEO da Axur, destaca que esse aumento não indica, necessariamente, que os sistemas internos de empresas e órgãos governamentais tenham sido comprometidos. “Um ponto de atenção para os usuários é o uso do e-mail de trabalho para cadastros em sites com interesses pessoais”, ressalta ele.

Um dos motivos para a alta exposição de senhas é o uso da sequência numérica "123456". Esse código continua sendo o mais utilizado pela população em geral (845.399 indivíduos a adotaram no segundo trimestre), apesar de as combinações com caracteres especiais terem aumentado em 20,4%.

Dados de cartões de crédito e débito

Informações de cartões de crédito e débito continuam a ser expostas na web superficial e na deep e dark web, mas houve queda de 36,2% na divulgação desses dados no segundo trimestre. A Axur identificou 267.921 vazamentos, ou seja, 152.156 a menos do que nos três meses anteriores.

Divulgação de dados de cartões de crédito e débito. Imagem: Divulgação/Axur
Divulgação de dados de cartões de crédito e débito. Imagem: Divulgação/Axur

O Brasil ainda lidera, com 137.483 cartões, apesar de apresentar uma queda de 8,1% entre o primeiro e segundo trimestres de 2021. Isso representa 44,3% a mais do que o segundo colocado, os EUA, com 60.939 cartões expostos.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos