Mercado fechado
  • BOVESPA

    105.069,69
    +603,45 (+0,58%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.597,29
    -330,09 (-0,65%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,22
    -0,28 (-0,42%)
     
  • OURO

    1.782,10
    +21,40 (+1,22%)
     
  • BTC-USD

    49.109,98
    -3.842,30 (-7,26%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.367,14
    -74,62 (-5,18%)
     
  • S&P500

    4.538,43
    -38,67 (-0,84%)
     
  • DOW JONES

    34.580,08
    -59,71 (-0,17%)
     
  • FTSE

    7.122,32
    -6,89 (-0,10%)
     
  • HANG SENG

    23.766,69
    -22,24 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    28.029,57
    +276,20 (+1,00%)
     
  • NASDAQ

    15.687,50
    -301,00 (-1,88%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3953
    +0,0151 (+0,24%)
     

Exportações de minério de ferro da Austrália para China esfriam

·2 min de leitura

(Bloomberg) -- Os embarques de minério de ferro da Austrália para a China perdem força justo quando a queda dos preços do principal insumo siderúrgico se consolida, o que pode pesar sobre o dólar australiano e limitar futuros superávits comerciais.

Most Read from Bloomberg

Em volume, as importações chinesas de minério de ferro caíram 4,2% em outubro em relação ao mês anterior, segundo dados do governo divulgados no domingo. A China ainda não forneceu informações sobre o valor, mas a recente queda dos preços - de quase 40% desde agosto - também sugere que será menor.

A Austrália, maior exportador mundial de minério de ferro, está sob pressão em meio à crise do setor imobiliário da China e questões ambientais, que pesam sobre o preço e os volumes. O dólar australiano, que historicamente acompanha uma combinação de preços de commodities e diferenciais de rendimento, tem resistido até agora à desvalorização.

“A queda dos preços do minério de ferro é um dos fatores que podem manter alguma pressão de baixa sobre a moeda, pelo menos no curto prazo, por causa da demanda”, disse Diana Mousina, economista sênior da AMP Capital Investors.

Ela observa que, ao mesmo tempo, os preços do gás natural liquefeito e do carvão estão muito altos, ajudando a compensar o impacto geral. “Por isso, acho que houve uma pequena mudança em quais commodities estão influenciando a moeda”, disse Mousina.

O orçamento da Austrália em maio calculava que o minério de ferro seguiria uma linha reta até US$ 55 a tonelada em 18 meses. A commodity atualmente é negociada na faixa de US$ 90.

Em setembro, a produção de aço na China caiu 21,2% na comparação anual, para 73,8 milhões de toneladas, o menor volume mensal desde 2017.

É um longo caminho desde meados deste ano, quando os embarques de minério de ferro da Austrália geravam mais de US$ 200 a tonelada, enchendo os cofres do país com receitas fiscais mais altas obtidas de mineradoras. O superávit comercial australiano também disparou em agosto, atingindo um recorde de 14,7 bilhões de dólares australianos (US$ 10,9 bilhões).

A Austrália divulga os dados comerciais de outubro em 2 de dezembro.

“A demanda da China por minério de ferro enfraqueceu e meio ao objetivo de autoridades de limitar a produção de aço em 2021 aos níveis de 2020, a fim de reduzir as emissões”, disse Vivek Dhar, do Commonwealth Bank of Australia. “A Olimpíada de Inverno em Pequim em fevereiro pode resultar em uma fiscalização estrita das atividades de usinas siderúrgicas nos próximos meses.”

Most Read from Bloomberg Businessweek

©2021 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos