Mercado abrirá em 7 h 15 min
  • BOVESPA

    108.789,33
    +556,59 (+0,51%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.464,03
    +900,05 (+1,78%)
     
  • PETROLEO CRU

    113,84
    +1,44 (+1,28%)
     
  • OURO

    1.808,20
    -10,70 (-0,59%)
     
  • BTC-USD

    29.948,97
    -407,66 (-1,34%)
     
  • CMC Crypto 200

    672,93
    +430,25 (+177,29%)
     
  • S&P500

    4.088,85
    +80,84 (+2,02%)
     
  • DOW JONES

    32.654,59
    +431,17 (+1,34%)
     
  • FTSE

    7.518,35
    +53,55 (+0,72%)
     
  • HANG SENG

    20.534,78
    -67,74 (-0,33%)
     
  • NIKKEI

    26.843,97
    +184,22 (+0,69%)
     
  • NASDAQ

    12.508,25
    -52,00 (-0,41%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2040
    -0,0064 (-0,12%)
     

Exportações de metais da China sinalizam mais revés de oferta

·2 min de leitura

(Bloomberg) -- A China tem exportado volumes excepcionalmente altos de metais, e isso mostra o estado precário dos mercados globais à medida que a oferta aperta.

Os embarques de alumínio do maior produtor mundial atingiram recorde no primeiro trimestre, enquanto as exportações de cobre quase dobraram em março em relação ao mês anterior. Os embarques de zinco também aumentaram no mês passado, e há sinais de que as exportações de aço vão subir.

A onda de exportação é alimentada por escassez crescente fora da China, exacerbada por rupturas de abastecimento após a invasão da Ucrânia pela Rússia. Enquanto isso, a demanda doméstica chinesa sofre com as medidas para conter o surto de Covid-19.

Os volumes de exportação de metais são pequenos em relação à enorme produção e fluxos da China, mas o surgimento desses negócios é um sinal de alerta.

“São oportunidades temporárias de arbitragem”, disse Dong Hao, chefe de pesquisa em uma corretora do fundo de hedge de commodities chinês Shanghai Chaos Invest Group.

As crescentes exportações chinesas de metais são uma peça no quadro mais amplo da turbulência nos mercados de commodities. O cobre caminha em direção a um choque de oferta, segundo o Goldman Sachs, enquanto a Rio Tinto disse esta semana que a inflação das matérias-primas lembra a década de 70.

Materiais Vitais

Pegue alumínio, por exemplo. Os preços do metal usado em tudo, desde carros a latas, atingiram um recorde em março, com temores sobre a oferta russa em um mercado já apertado. Os estoques de bolsas globais estão no nível mais baixo desde 2005.

As exportações chinesas de alumínio em bruto e produtos no primeiro trimestre subiram para 1,6 milhão de toneladas, equivalente a cerca de 4% da produção total do ano passado. Os embarques permanecerão fortes pelo menos até este trimestre, já que o déficit fora da China persiste, disse Li Jiahui, analista do Shanghai Metals Market, em nota.

Há um quadro semelhante no zinco, com lucros potenciais no envio do metal da China para a Europa agora de US$ 300 por tonelada, de acordo com Ji Xianfei, analista da Guotai Junan Futures. Os prêmios para o zinco em Roterdã subiram para níveis recorde no início deste mês, depois que o aumento dos custos de combustível provocou o fechamento de fundições.

Alguns analistas esperam que as exportações de aço aumentem com a alta dos preços no exterior. A cota de exportação das siderúrgicas para o período de abril a maio foi quase totalmente reservada em março devido à compra de pânico com a guerra na Ucrânia, disse um operador de minério de ferro de Singapura que está em contato com as siderúrgicas chinesas.

Os embarques de aço da China encolheram drasticamente desde que o país enviou volumes sem precedentes em 2015 e 2016.

More stories like this are available on bloomberg.com

©2022 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos