Mercado abrirá em 3 h 22 min
  • BOVESPA

    121.113,93
    +412,93 (+0,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.726,98
    +212,88 (+0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,05
    -0,08 (-0,13%)
     
  • OURO

    1.789,60
    +9,40 (+0,53%)
     
  • BTC-USD

    57.059,84
    -423,07 (-0,74%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.296,89
    -94,82 (-6,81%)
     
  • S&P500

    4.185,47
    +15,05 (+0,36%)
     
  • DOW JONES

    34.200,67
    +164,67 (+0,48%)
     
  • FTSE

    7.025,04
    +5,51 (+0,08%)
     
  • HANG SENG

    29.106,15
    +136,44 (+0,47%)
     
  • NIKKEI

    29.685,37
    +2,00 (+0,01%)
     
  • NASDAQ

    14.027,50
    -2,00 (-0,01%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6839
    -0,0022 (-0,03%)
     

Exportação de carne suína do Brasil bate recorde mensal em março com China, diz ABPA

·2 minuto de leitura
Criação de porcos em Carambeí (PR)

SÃO PAULO (Reuters) - As exportações de carne suína do Brasil, considerando os produtos in natura e processados, totalizaram o recorde mensal de 109,2 mil toneladas em março, informou nesta quinta-feira a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), puxadas por um salto nos embarques dos produtos à China.

O volume supera em 51,5% as vendas externas de carne suína registradas no mesmo período do ano anterior, quando foram exportadas 72,1 mil toneladas, disse a entidade em nota.

Com os embarques de março, a receita atingiu 261,7 milhões de dólares, alta de 57,6% no ano a ano.

"É o maior volume mensal de exportações já registrado pela suinocultura do Brasil, e reforça a expectativa de novo recorde nas vendas totais para o ano... sem desabastecer o mercado doméstico", afirmou no comunicado o presidente da ABPA, Ricardo Santin.

No acumulado do primeiro trimestre, as exportações de carne suína totalizaram 253,5 mil toneladas, avanço de 21,86%. O faturamento do período alcançou 594 milhões de dólares, alta de 22,4%.

A China foi destino de 58,7 mil toneladas da proteína em março (+64,6%), e de 132,9 mil toneladas no trimestre (+36,5%). Em segundo lugar, Hong Kong importou 17,5 mil toneladas em março (+49,9%) e 37,3 mil toneladas no trimestre (-6,2%).

O mercado chinês lida com uma nova onda de infecções pela peste suína africana (PSA) entre os animais. Desde 2018, a doença já dizimou metade do rebanho de 400 milhões de porcos do país asiático, o que resultou em um déficit de proteína na região.

FRANGO

As exportações totais de carne de frango, incluindo produtos in natura e processados, somaram 396 mil toneladas em março, aumento de 13,3% ante igual período de 2020 capaz de puxar a recuperação dos embarques no trimestre, que vinham no vermelho.

Entre janeiro e março, as vendas externas da proteína de frango registraram alta 1,44%, com 1,036 milhão de toneladas, contra 1,021 milhão de toneladas um ano antes.

"O volume embarcado em março foi positivo e reverteu o desempenho do primeiro bimestre, mantendo as previsões de altas do setor produtivo para 2021", disse em nota o diretor de mercados da ABPA, Luis Rua.

Em receita, os embarques do mês passado somaram 603,6 milhões de dólares, 9,2% a mais que os 552,5 milhões de março de 2020. No trimestre, porém, houve queda de 4,6%, para 1,559 bilhão de dólares.

A associação ainda ressaltou que, na Ásia, a China importou em março 55,6 mil toneladas, volume 6,9% maior que o efetuado no mesmo período de 2020. No trimestre, as vendas para o mercado chinês alcançaram 148 mil toneladas, volume 11,6% menor.

No Oriente Médio, a Arábia Saudita importou 41,1 mil toneladas em março (+4%) e 120,8 mil toneladas no trimestre (+8,5%).

(Por Nayara Figueiredo)