Mercado fechado
  • BOVESPA

    96.582,16
    +1.213,40 (+1,27%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    36.801,37
    -592,34 (-1,58%)
     
  • PETROLEO CRU

    36,11
    -0,06 (-0,17%)
     
  • OURO

    1.867,90
    -0,10 (-0,01%)
     
  • BTC-USD

    13.498,74
    -44,17 (-0,33%)
     
  • CMC Crypto 200

    265,04
    +22,36 (+9,21%)
     
  • S&P500

    3.310,11
    +39,08 (+1,19%)
     
  • DOW JONES

    26.659,11
    +139,16 (+0,52%)
     
  • FTSE

    5.581,75
    -1,05 (-0,02%)
     
  • HANG SENG

    24.586,60
    -122,20 (-0,49%)
     
  • NIKKEI

    23.331,94
    -86,57 (-0,37%)
     
  • NASDAQ

    11.244,75
    +112,00 (+1,01%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7450
    +0,0106 (+0,16%)
     

Exportação de carne bovina do Brasil sobe em setembro, mas preço cai pela 1ª vez no ano

·1 minuto de leitura
Carcaças bovinas em abatedouro
Carcaças bovinas em abatedouro

SÃO PAULO (Reuters) - As exportações de carne bovina do Brasil em setembro (in natura e processada) somaram 166,4 mil toneladas, alta de 2% ante mesmo mês de 2019, enquanto a receita atingiu 668,7 milhões de dólares, contra 679,8 milhões de dólares no ano anterior, disse a Associação Brasileira de Frigoríficos (Abrafrigo) nesta quarta-feira.

"Esta foi a primeira vez que houve queda comparativa nos preços obtidos pela carne bovina brasileira no exterior neste ano. Desde janeiro o setor obteve altas expressivas em dólares que chegaram a atingir 40% de crescimento em junho passado", destacou a entidade em nota.

A associação não detalhou o motivo da queda do preço.

Com base em dados compilados junto à Secretaria de Comércio Exterior (Secex), a associação disse que as exportações no acumulado do ano registram crescimento de 10% em relação a 2019, com total de 1,46 milhão de toneladas registradas até setembro.

Em receitas, o aumento em base anual é ainda mais expressivo, de 20%, para 6,1 bilhões de dólares, acrescentou a Abrafrigo.

"O principal comprador do produto brasileiro continua sendo a China", destacou, ao apontar que o país e a cidade-Estado de Hong Kong adquiriram 839,1 mil toneladas de carne bovina brasileira até setembro, contra 519,65 no mesmo período de 2019.

As compras chinesas até o momento representam 57,4% do total exportado pelo Brasil, com o país sendo seguido pelo Egito, com 101,4 mil toneladas em 2020, e pelo Chile, com 60 mil toneladas.

A Rússia foi o quarto principal destino da carne bovina brasileira até setembro, com 46,2 mil toneladas, enquanto os Estados Unidos ficaram no quinto lugar, com 40,6 mil toneladas, ainda segundo a associação do setor.

(Por Luciano Costa)