Mercado abrirá em 6 h 53 min
  • BOVESPA

    109.951,49
    +2.121,77 (+1,97%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    53.125,01
    -210,50 (-0,39%)
     
  • PETROLEO CRU

    78,42
    -0,05 (-0,06%)
     
  • OURO

    1.890,80
    +0,10 (+0,01%)
     
  • BTC-USD

    22.595,57
    -665,16 (-2,86%)
     
  • CMC Crypto 200

    520,12
    -16,78 (-3,12%)
     
  • S&P500

    4.117,86
    -46,14 (-1,11%)
     
  • DOW JONES

    33.949,01
    -207,68 (-0,61%)
     
  • FTSE

    7.885,17
    +20,46 (+0,26%)
     
  • HANG SENG

    21.356,79
    +73,27 (+0,34%)
     
  • NIKKEI

    27.536,88
    -69,58 (-0,25%)
     
  • NASDAQ

    12.573,75
    +28,50 (+0,23%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5778
    +0,0104 (+0,19%)
     

Expectativas de inflação do consumidor nos EUA caem em janeiro

WASHINGTON (Reuters) - Os consumidores dos Estados Unidos acreditam que as pressões sobre os preços diminuirão consideravelmente nos próximos 12 meses, com uma pesquisa desta sexta-feira mostrando que a perspectiva de inflação para daqui a um ano caiu em janeiro ao nível mais baixo desde 2021.

A Pesquisa de Consumidores da Universidade de Michigan mostrou que a perspectiva de inflação para um ano caiu a uma leitura preliminar de 4,0% neste mês, ante 4,4% em dezembro. Essa foi a leitura mais baixa desde abril de 2021. No horizonte de cinco anos, a perspectiva subiu para 3,0%, de 2,9% no mês passado, permanecendo na estreita faixa de 2,9% a 3,1% em que tem trabalhado em 17 dos últimos 18 meses.

A pesquisa veio na esteira de dados do governo norte-americano de quinta-feira, que mostraram que os preços ao consumidor caíram pela primeira vez em mais de dois anos e meio em dezembro. A inflação está diminuindo à medida que os aumentos agressivos da taxa de juros do Federal Reserve esfriam a demanda e os gargalos na cadeia de suprimentos perdem força.

Com a queda da inflação, o ânimo dos consumidores está melhorando. A leitura preliminar de janeiro da Universidade de Michigan sobre o índice geral de sentimento do consumidor subiu a 64,6, ante 59,7 no mês anterior. Economistas consultados pela Reuters previam uma leitura preliminar de 60,5.

(Por Lucia Mutikani)