Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.289,18
    +1.085,18 (+0,98%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.037,05
    -67,35 (-0,13%)
     
  • PETROLEO CRU

    87,36
    +0,01 (+0,01%)
     
  • OURO

    1.819,50
    -10,20 (-0,56%)
     
  • BTC-USD

    36.840,43
    -92,70 (-0,25%)
     
  • CMC Crypto 200

    835,69
    -20,12 (-2,35%)
     
  • S&P500

    4.349,93
    -6,52 (-0,15%)
     
  • DOW JONES

    34.168,09
    -129,61 (-0,38%)
     
  • FTSE

    7.469,78
    +98,32 (+1,33%)
     
  • HANG SENG

    24.289,90
    +46,30 (+0,19%)
     
  • NIKKEI

    27.011,33
    -119,97 (-0,44%)
     
  • NASDAQ

    14.261,50
    +103,00 (+0,73%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1054
    -0,0467 (-0,76%)
     

Expectativas de consumidores dos EUA sobre inflação ficam inalteradas em dezembro, mostra pesquisa

·2 min de leitura
Fachada da sede do Federal Reserve em Washington

Por Jonnelle Marte

(Reuters) - As expectativas de inflação a curto prazo mantiveram-se estáveis ​​em dezembro, após subirem de forma constante por mais de um ano, e consumidores ficaram mais otimistas sobre suas perspectivas de emprego, de acordo com uma pesquisa divulgada nesta segunda-feira pelo Federal Reserve (Fed, banco central norte-americano) de Nova York.

A mediana das estimativas para a inflação em um ano ficou inalterada em 6,0% após 13 meses consecutivos de elevação, de acordo com a pesquisa mensal do Fed de Nova York sobre as expectativas do consumidor. As perspectivas sobre como a inflação poderia estar em três anos também se mantiveram estáveis ​​em 4,0%, mostrou a sondagem.

Consumidores reduziram suas expectativas de quanto os preços de itens essenciais aumentarão no próximo ano e disseram esperar que o preço do gás suba 5,7% em um ano (9,2% na pesquisa de novembro) e que os custos dos alimentos aumentem 7,8%, ante 9,2% no dado anterior.

Autoridades do banco central norte-americano estão avaliando a necessidade de alta antecipada das taxas de juros e podem começar a reduzir no fim deste ano o volume de títulos que o Fed possui em carteira como resposta à alta inflação e a um mercado de trabalho "apertado", de acordo com a ata da reunião do Fed de 14 e 15 de dezembro divulgada na semana passada.

A pesquisa do Fed de Nova York, que se baseia em um painel rotativo de aproximadamente 1.300 domicílios, mostrou que consumidores também estão mais otimistas em relação ao mercado de trabalho.

A chance percebida de perder o emprego nos próximos 12 meses caiu para uma média de 11,6% em dezembro, de 12,9% em novembro. E a chance média percebida de conseguir encontrar um novo emprego depois de ficar desempregado subiu para 57,5% em dezembro, ante 55,9% em novembro --nível mais alto desde os de 58,7% alcançados em fevereiro de 2020, no período pré-pandemia.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos