Mercado fechado
  • BOVESPA

    119.573,68
    -1.062,71 (-0,88%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.117,66
    -377,75 (-0,83%)
     
  • PETROLEO CRU

    53,28
    +0,30 (+0,57%)
     
  • OURO

    1.867,50
    +27,30 (+1,48%)
     
  • BTC-USD

    35.188,30
    +788,33 (+2,29%)
     
  • CMC Crypto 200

    697,15
    -3,46 (-0,49%)
     
  • S&P500

    3.855,34
    +56,43 (+1,49%)
     
  • DOW JONES

    31.171,87
    +241,35 (+0,78%)
     
  • FTSE

    6.740,39
    +27,44 (+0,41%)
     
  • HANG SENG

    29.962,47
    +320,19 (+1,08%)
     
  • NIKKEI

    28.523,26
    -110,20 (-0,38%)
     
  • NASDAQ

    13.314,00
    +328,50 (+2,53%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4284
    -0,0702 (-1,08%)
     

Expectativas de bônus diminuem em Wall Street em ano de pandemia

Lananh Nguyen
·2 minuto de leitura

(Bloomberg) -- Operadores de Wall Street que trouxeram ganhos para bancos neste ano podem colher recompensas mais modestas do que esperavam inicialmente.

As maiores instituições financeiras dos EUA têm reduzido as expectativas em relação aos bônus de funcionários depois que a pandemia provocou um salto das atividades de negociação e aumentou as receitas. Os planos do Bank of America de manter o pagamento de bônus para as divisões de vendas e trading no nível do ano passado decepcionaram alguns funcionários.

O Citigroup vai manter os bônus inalterados para a divisão de renda variável, ao mesmo tempo em que aumentará os pagamentos para traders de renda fixa em pelo menos 10%. Aumentos mais generosos, perto de 20%, estão em discussão no JPMorgan Chase e Goldman Sachs, mas, mesmo nesses bancos, os bônus devem variar muito.

“O tom geral em Wall Street é um tanto pessimista”, disse Paul Sorbera, presidente da empresa de recrutamento de executivos Alliance Consulting, em Nova York. “Vai ser confuso” para que os gerentes tomem decisões de remuneração devido ao desempenho desigual entre as diferentes equipes neste ano, disse.

Ao tomar decisões sobre a remuneração de fim de ano, os executivos terão que pesar o desempenho estelar da área de trading em relação ao potencial de perdas com empréstimos nas divisões de crédito ao consumidor e corporativo. Os bancos também têm receio de pagar altos bônus, o que pode atrair críticas da sociedade e de políticos quando milhões de pessoas estão sem trabalho.

Mesmo com esse pano de fundo, recompensar acionistas é prioridade para as empresas. Os seis maiores bancos dos EUA poderão recomprar até US$ 11 bilhões em ações no primeiro trimestre do ano que vem, após receberem o sinal verde do Federal Reserve para retomar as compras.

As divisões de trading ajudaram a impulsionar parte dos lucros que serão devolvidos aos acionistas. Os cinco maiores bancos de investimento dos EUA estão a caminho de fechar o ano com US$ 100 bilhões em receita de trading pela primeira vez em mais de uma década. Nos primeiros três trimestres do ano, esses bancos geraram quase US$ 84 bilhões, mais do que em qualquer ano inteiro desde 2010.

Ainda assim, isso não será suficiente para garantir os enormes bônus dos anos anteriores.

“A gerência está muito preocupada com a percepção das pessoas de que serão pagas proporcionalmente ao aumento da receita”, disse Sorbera. “Isso não vai acontecer.”

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2020 Bloomberg L.P.