Mercado abrirá em 9 h 34 min
  • BOVESPA

    114.064,36
    +1.782,08 (+1,59%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.464,27
    +125,93 (+0,25%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,27
    -0,03 (-0,04%)
     
  • OURO

    1.752,30
    +2,50 (+0,14%)
     
  • BTC-USD

    44.494,20
    +594,93 (+1,36%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.111,91
    +2,98 (+0,27%)
     
  • S&P500

    4.448,98
    +53,34 (+1,21%)
     
  • DOW JONES

    34.764,82
    +506,50 (+1,48%)
     
  • FTSE

    7.078,35
    -5,02 (-0,07%)
     
  • HANG SENG

    24.527,72
    +16,74 (+0,07%)
     
  • NIKKEI

    30.200,89
    +561,49 (+1,89%)
     
  • NASDAQ

    15.293,75
    -9,75 (-0,06%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2258
    +0,0008 (+0,01%)
     

A expectativa para a Selic sobe e chega a 8%.

·2 minuto de leitura

De acordo com o último boletim, a expectativa é de Selic em 8% ao ano. Vale destacar que as análises vêm sendo influenciadas pela inflação que vem crescendo cada vez mais.

Efeito do juro alto sobre o dólar

O Brasil oferecendo uma taxa de juro maior pode atrair mais investidores, principalmente devido à segurança dos títulos por aqui.

Comparado a vários outros países em desenvolvimento, o Brasil é um dos melhores e mais estáveis, porém, o contexto econômico e político vêm prejudicando um pouco.

O Brasil vem crescendo, mas já no último resultado do PIB, houve uma leve queda. Existe a possibilidade de racionamento de energia, além da questão do desemprego. Fatos que prejudicam uma visão de médio prazo.

A informalidade vem ganhando força e isso pode gerar impactos no futuro, principalmente com relação à previdência social, coisa que no longo prazo, vai influenciar negativamente a dívida pública.

Tudo isso faz parte da análise dos investidores. Por outro lado, existe uma notícia boa, a dívida bruta brasileira vem caindo.

Se as coisas forem melhorando aos poucos, é possível que até o final de 2021, a dívida/PIB fique próxima dos 80%.

Vale destacar que ainda em 2021, a relação dívida/PIB já tinha alcançado a casa dos 90%. Marca nunca antes batida.

Juro alto dólar mais barato?

Se o juro continuar subindo e ficar acima do esperado pelo mercado, a oportunidade será atraente no Brasil.

Outro ponto é a inflação. Um juro que oferece ganho real aos investidores é muito bom e pode ser um triunfo ao Brasil na tentativa de captar investidores do exterior.

O problema está relacionado ao tipo de investimento. Aqueles que procuram colocar o capital no Brasil se aproveitando do juro maior, geralmente tem um grau especulativo elevado.

Ou seja, se o juro cair, esses recursos provavelmente vão sair do Brasil, gerando desvalorização do real.

Outro ponto é referente à estabilidade política e a economia. A criação de mais programas sociais ou do aumento dos valores, sem uma redução nas despesas também gera insegurança por parte dos investidores.

O Brasil precisa mostrar controle nas contas públicas. Com mais despesas, o Brasil precisa aumentar a arrecadação. Por isso, é importante ver sinais mais fortes da economia.

Havendo um pouco mais de estabilidade e melhora contínua da economia, com uma redução dos riscos para eventuais blecautes, é provável que a relação USD/BRL caia.

Mas, se as coisas não melhorarem, o dólar pode sim se valorizar, mesmo com juro mais alto.

Se o investidor não possui posição em dólares, talvez esse seja um bom momento para analisar. O índice Ibovespa também vem sofrendo com a volatilidade, já os títulos de renda fixa, atrelados à Selic, vem se mostrando alternativas muito atraentes.

This article was originally posted on FX Empire

More From FXEMPIRE:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos