Mercado fechado
  • BOVESPA

    106.287,80
    -1.447,21 (-1,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.856,95
    -163,10 (-0,31%)
     
  • PETROLEO CRU

    83,91
    +1,41 (+1,71%)
     
  • OURO

    1.795,00
    +13,10 (+0,74%)
     
  • BTC-USD

    60.927,95
    -1.714,52 (-2,74%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.453,18
    -49,85 (-3,32%)
     
  • S&P500

    4.545,00
    -4,78 (-0,11%)
     
  • DOW JONES

    35.678,26
    +75,18 (+0,21%)
     
  • FTSE

    7.204,55
    +14,25 (+0,20%)
     
  • HANG SENG

    26.126,93
    +109,40 (+0,42%)
     
  • NIKKEI

    28.804,85
    +96,27 (+0,34%)
     
  • NASDAQ

    15.336,25
    -142,50 (-0,92%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5541
    -0,0269 (-0,41%)
     

Expectativa de inflação e juros voltam a subir e PIB de 2022 deve ser menor, indica relatório Focus

·2 minuto de leitura

BRASÍLIA — Pela terceira semana seguida, o mercado diminuiu sua projeção de crescimento para 2022 e agora prevê crescimento de 1,63%. Há um mês, a expectativa era de 2%, de acordo com o relatório Focus divulgado pelo Banco Central (BC).

Essa revisão para baixo acompanhou uma série de piora nas expectativas para este ano e para 2022 em todos índices, incluindo inflação, taxa básica de juros e PIB.

Por exemplo, o mercado agora espera que a taxa básica de juros, a Selic, chegue a 8,25% este ano e 8,5% em 2022. Na semana passada, a expectativa era de 8% para ambos os casos. A premissa é que o BC terá de aumentar os juros para um patamar maior para controlar a inflação de 2022.

Nesta semana, o BC se reúne novamente para decidir sobre a Selic. Atualmente em 5,25%, a expectativa é que ela suba mais 1 ponto percentual (p.p).

Inflação esta que deve subir mais do que o previsto na semana passada. O relatório mostra uma projeção de 8,35% para 2021 e de 4,1% para 2022, contra números de 8% e 4,03% no documento divulgado na última segunda-feira.

Para este ano, a meta de inflação definida pelo Conselho Monetário Nacional é de 3,75%, com intervalo de tolerância de 1,5 p.p para cima ou para baixo. O BC não deve cumprir essa meta e com isso, o presidente da instituição, Roberto Campos Neto, deverá mandar uma carta para o ministro da Economia, Paulo Guedes, explicando as razões para o descumprimento e o que deve fazer para cumprir em 2022.

Para o ano que vem, a meta é de 3,5% e o BC tem tentando direcionar as expectativas para baixo, mas elas vêm subindo por nove semanas seguidas no relatório Focus.

Já o PIB de 2021 foi mantido em 5,04%, depois de uma queda do patamar de 5,27% há quatro semanas. Alguns bancos e consultorias já estão prevendo crescimento abaixo de 1% para 2022, como o Itaú e o JP Morgan, citando juros mais altos, “ruídos institucionais” e um cenário pior para a economia global.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos