Mercado fechado
  • BOVESPA

    105.069,69
    +603,45 (+0,58%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.597,29
    -330,09 (-0,65%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,22
    -0,28 (-0,42%)
     
  • OURO

    1.782,10
    +21,40 (+1,22%)
     
  • BTC-USD

    49.249,75
    +2.309,45 (+4,92%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.367,14
    -74,62 (-5,18%)
     
  • S&P500

    4.538,43
    -38,67 (-0,84%)
     
  • DOW JONES

    34.580,08
    -59,71 (-0,17%)
     
  • FTSE

    7.122,32
    -6,89 (-0,10%)
     
  • HANG SENG

    23.766,69
    -22,24 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    28.029,57
    +276,20 (+1,00%)
     
  • NASDAQ

    15.687,50
    -301,00 (-1,88%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3953
    +0,0151 (+0,24%)
     

Expansão da atividade de serviços da China acelera em outubro, mostra PMI do Caixin

·1 min de leitura
Restaurante em Sanya, China

PEQUIM (Reuters) - A atividade do setor de serviços da China expandiu a um ritmo mais forte em outubro, impulsionado pela demanda robusta, embora o aumento das pressões inflacionárias tenha pesado sobre a confiança das empresas para o ano à frente, mostrou a pesquisa Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês) do Caixin Markit.

Os dados divulgados nesta quarta-feira mostram que o PMI de serviços subiu a 53,8 em outubro --nível mais alto desde julho --de 53,4 em setembro. A marca de 50 separa crescimento de contração.

A leitura melhor na pesquisa privada, que foca mais em pequenas empresas em regiões costeiras, contrastou com o levantamento oficial, que mostrou que a expansão no setor de serviços perdeu força.

O subíndice de novas encomendas avançou para 54,1 de 53,1 em setembro, diante do aumento das encomendas de exportação que contraíram no mês anterior.

Os preços de insumos também aumentaram pelo 16º mês seguido e no ritmo mais forte desde julho devido à elevação dos custos trabalhistas e de matérias-primas. A demanda sólida permitiu que as empresas repassassem parte dos custos aos consumidores, elevando os preços cobrados para o nível mais alto em três meses.

No entanto, as persistentes pressões inflacionárias e preocupações com as cadeias de oferta levaram a confiança dos empresários ao nível mais fraco em quatro meses, mostrou a pesquisa.

(Reportagem de Stella Qiu e Ryan Woo)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos