Mercado abrirá em 6 h 31 min

Exoesqueleto em linhas de produção? A Honda apresenta suas invenções

Fidel Forato

Nos últimos anos, a ciência vem se parecendo cada vez mais com a ficção científica e o mundo das HQs. É só pensar, por exemplo, no Homem de Ferro e os últimos exoesqueletos tecnologia vestível que fornece ao seu usuário forças, em tese, sobre-humanas. Mesmo que a diferença entre os modelos ainda seja expressiva, dez anos atrás isso seria impensável.

Buscando soluções para suas linhas de montagem e poupando os esforços de seus trabalhadores, a General Motors, a Ford e a Hyundai já investiram na tecnologia. E, agora, chega a vez da Honda exibir seu modelo de exoesqueleto próprio. A apresentação de sua criação acontecerá, em janeiro, durante a Consumer Electronics Show (CES) 2020, em Las Vegas, nos Estados Unidos.

Exoesqueleto da Honda permite que usuário se sente "no ar" (Fota: Divulgação/ Honda)

Exoesqueleto em detalhes

A Honda Xcelerator - incubadora de inovação da companhia japonesa - trabalhou com a alemã Skelex para criar seu próprio exoesqueleto, o Skelex 360. A invenção deve ser aproveitada por trabalhadores que realizam funções que exigem os braços levantados por longo período de tempo, como parafusar no alto – o que deve ser uma tarefa muito ingrata.

Nesse caso, o exoesqueleto deve reduzir o risco de lesões por esforço repetitivo, além de aliviar a fadiga dos ombros e, somente, aprimorar o movimento natural dos braços e do tronco. Para isso, o dispositivo oferece uma força de elevação ajustável de 0,5 kg a 4 kg.

Outra parceria é com a empresa Noonee, também alemã. Juntas, elas apresentam uma espécie de cadeira, a Chairless 2.0, mas sem encostos ou pernas, baseada unicamente no exoesqueleto. A invenção permitirá que os trabalhadores "se sentem", de maneira confortável, em uma posição que devem passar por longos períodos.

Assim, a cadeira vestível permite que os usuários alternem com flexibilidade entre as posições: sentado, andando e em pé ativo - evitando uma postura prejudicial e pressão nas articulações. Em demonstração, basta o operário se agachar para que a tecnologia do exoesqueleto se incline para fornecer uma cadeira - do nada.

Sobre as soluções que buscam mais conforto para o ambiente de trabalho, Dennis Clark, o diretor da Honda Innovations, explica que "acreditamos que o toque humano ainda é necessário para obter alta qualidade e flexibilidade na fabricação", por isso a importância das tecnologias que facilitam o trabalho humano.

"Ao colaborar com startups inovadoras, queremos garantir que nossos associados tenham um ambiente de produção seguro, fornecendo ferramentas avançadas que tornam nossos processos de fabricação ainda mais eficientes", conclui o executivo da Honda.

A seguir, confira vídeo, em inglês, com os exoesqueletos da Honda:

Mais exoesqueletos em produção

Além do ambiente fabril e de montagem de veículos, exoesqueletos estão sendo desenvolvidos para auxiliar o dia a dia de idosos ou ainda na recuperação de pacientes que passam por problemas de locomoção.

É o caso de um grupo de pesquisadores da Universidade de Harvard e da Universidade de Nebraska Omaha que está desenvolvendo um exoesqueleto portátil. Com Inteligência Artificial (IA), o modelo pode auxiliar tanto em caminhadas, quanto em corridas. A ideia é que o projeto possa ser usado, primeiro, em ambientes de reabilitação, de forma que ele possa ajudar qualquer pessoa a se movimentar com facilidade.

Em outro caso, foi pensado em um exoesqueleto para manter idosos – por enquanto, japoneses - na idade ativa para trabalhos manuais por mais tempo, mesmo com os desgastes da idade. Isso porque a fabricante Innophys desenvolveu um traje parecido com uma mochila que permite que seus usuários a levantem até 15 Kg, com o mínimo esforço.


Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: