Mercado fechado
  • BOVESPA

    98.672,26
    +591,91 (+0,60%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.741,50
    +1.083,62 (+2,32%)
     
  • PETROLEO CRU

    107,06
    +2,79 (+2,68%)
     
  • OURO

    1.828,10
    -1,70 (-0,09%)
     
  • BTC-USD

    21.284,95
    +156,53 (+0,74%)
     
  • CMC Crypto 200

    462,12
    +8,22 (+1,81%)
     
  • S&P500

    3.911,74
    +116,01 (+3,06%)
     
  • DOW JONES

    31.500,68
    +823,32 (+2,68%)
     
  • FTSE

    7.208,81
    +188,36 (+2,68%)
     
  • HANG SENG

    21.719,06
    +445,19 (+2,09%)
     
  • NIKKEI

    26.491,97
    +320,72 (+1,23%)
     
  • NASDAQ

    12.132,75
    +395,25 (+3,37%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5524
    +0,0407 (+0,74%)
     

Existe intolerância ao álcool?

Eis um problema para você que tem o hábito de beber: existe intolerância ao álcool. Trata-se de um distúrbio metabólico genético em que o corpo não consegue decompor o álcool adequadamente, o que resulta em uma reação de desconforto, além de sintomas mais específicos.

Em 2012, cientistas por trás de um estudo publicado na DA International entrevistaram 4 mil pessoas, e chegaram a notar que 7% delas eram intolerantes ao álcool, e o intrigante — e o fator que justamente leva à escassez de informações — é que a condição não desperta reação imediata após o consumo. De qualquer forma, os sintomas mais comuns são:

  • Vermelhidão no peito, pescoço e rosto

  • Nariz escorrendo ou entupido

  • Coceira na pele

  • Pressão arterial baixa

  • Náuseas

  • Vômitos

  • Diarreia

Especialistas alertam que a intolerância ao álcool geralmente acontece quando o corpo não tem as enzimas certas para metabolizar as toxinas da bebida. A condição pode ser causada por traços hereditários ou genéticos.

Especialistas alertam para a intolerância do álcool, que não tem cura (Imagem: LightFieldStudios/envato)
Especialistas alertam para a intolerância do álcool, que não tem cura (Imagem: LightFieldStudios/envato)

No entanto, em alguns casos, pode ser apenas intolerância a algum ingrediente da bebida (como produtos químicos, conservantes ou grãos, por exemplo). Vale buscar a opinião de um especialista, que pode administrar um teste de intolerância para determinar se a condição é diretamente relacionada ao próprio etanol ou a um ingrediente como fermento, uva ou lúpulo.

Vale o alerta de que o álcool é essencialmente uma toxina e, com o tempo, nossos corpos se tornam menos capazes de processar o álcool e nossa tolerância diminui, levando a ressacas mais graves e duradouras à medida que envelhecemos e uma sensação de maior sensibilidade ao álcool. No entanto, existem algumas formas de lidar com os sintomas da ressaca.

Alergia ao álcool x intolerância

Existe também a alergia ao álcool, que é diferente de intolerância, e muito mais grave. Para se ter uma noção, se não houver o devido tratamento, a alergia pode até ser fatal, por isso é imprescindível ficar atento aos sintomas:

  • Erupção cutânea

  • Coceira na pele

  • Inchaço

  • Cólicas estomacais

A pessoa com intolerância ao álcool enfrenta sintomas desconfortáveis, mas para quem é alérgico, consumir bebida alcoólica é simplesmente incogitável. No Canaltech, já destacamos tudo o que a ciência sabe até agora sobre alergias em geral.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos