Mercado abrirá em 5 h 44 min

Exercícios físicos ajudam a proteger os rins contra danos do diabetes

De acordo com um artigo publicado na revista Nature, os hormônios liberados durante exercícios físicos podem ajudar a proteger os rins contra danos do diabetes. Tudo por conta da irisina, considerada pelos como um dos principais mensageiros químicos responsáveis pelos benefícios que acompanham essas atividades.

A irisina é iberada pelo tecido muscular durante a prática de atividade física, e nesse novo estudo, os cientistas ressaltaram os benefícios da substância aos rins, já que pode prevenir os estragos renais produzidos pelo diabetes. Normalmente, esses danos envolvem os vasos sanguíneos, artérias e veias que irrigam os rins, o que leva à insuficiência renal crônica.

Para chegar à descoberta, os cientistas tornaram alguns ratos diabéticos e mediram indicadores de danos renais. Os animais foram separados em três grupos: controle, diabéticos sedentários e diabéticos submetidos a treinamento físico.

Em seguida, a equipe injetou medicamentos nos roedores diabéticos e exercitados para bloquear a ação renal da irisina. A deficiência da substância coincidiu com o bloqueio dos efeitos benéficos do exercício.

Exercícios físicos ajudam a proteger os rins contra danos do diabetes, graças a uma substância chamada irisina (Imagem: Graham Mansfield/Unsplash)
Exercícios físicos ajudam a proteger os rins contra danos do diabetes, graças a uma substância chamada irisina (Imagem: Graham Mansfield/Unsplash)

Os especialistas também tentaram descobrir se o tratamento com irisina seria capaz de evitar as alterações da glicose elevada. O que acontece é que, durante o processo de filtragem feito pelos rins, os túbulos renais reabsorvem e devolvem ao sangue a água, eletrólitos e nutrientes necessários.

O grupo concluiu que exercícios físicos aumentam a irisina no músculo e na circulação e que, nos rins, a presença desse hormônio bloqueia os mecanismos da fibrose renal. Nos experimentos, a irisina protegeu o rim e reduziu a lesão das células tubulares expostas a alta concentração de glicose.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: