Mercado fechado
  • BOVESPA

    107.719,62
    +470,58 (+0,44%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.621,48
    -457,22 (-0,90%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,61
    +0,15 (+0,21%)
     
  • OURO

    1.810,10
    +8,60 (+0,48%)
     
  • BTC-USD

    17.139,18
    -73,63 (-0,43%)
     
  • CMC Crypto 200

    403,28
    -2,97 (-0,73%)
     
  • S&P500

    3.943,33
    -20,18 (-0,51%)
     
  • DOW JONES

    33.551,59
    -229,89 (-0,68%)
     
  • FTSE

    7.476,63
    +4,46 (+0,06%)
     
  • HANG SENG

    19.900,87
    +450,64 (+2,32%)
     
  • NIKKEI

    27.901,01
    +326,58 (+1,18%)
     
  • NASDAQ

    11.646,75
    +1,25 (+0,01%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5215
    +0,0209 (+0,38%)
     

Exercício simples acelera o metabolismo e queima gordura enquanto você trabalha

Permanecer por longas horas sentado aumenta o risco para algumas doenças, como problemas do coração e diabetes. Agora, um pequeno movimento com as pernas, que deve ser feito por quem está sentado, parece acelerar o metabolismo e aumentar a queima de açúcar (glicose) no sangue, segundo pesquisadores norte-americanos. Nos testes, o foco foi trabalhar o músculo sóleo, que é parte da panturrilha.

Publicado na revista iScience, o estudo sobre o impacto do simples movimento com as pernas que melhora o metabolismo e promove a queima de açúcar foi liderado pelo pesquisador e professor de Saúde e Desempenho Humano da Universidade de Houston (UH), Marc Hamilton.

Estudo revela que um simples movimento com as pernas, feito de forma contínua, pode acelerar o metabolismo de pessoas sentadas (Imagem: Rawpixel/Envato)
Estudo revela que um simples movimento com as pernas, feito de forma contínua, pode acelerar o metabolismo de pessoas sentadas (Imagem: Rawpixel/Envato)

“Nunca sonhamos que esse músculo tivesse esse tipo de capacidade. Esteve dentro de nossos corpos o tempo todo, mas ninguém nunca investigou como usá-lo para otimizar nossa saúde, até agora”, afirma Hamilton, em comunicado.

Qual é o movimento com as pernas que acelera o metabolismo?

Apelidado de flexões de sóleo (SPU), o movimento deve ser feito da seguinte forma:

"Enquanto está sentado com os pés apoiados no chão e os músculos relaxados, a pessoa deve elevar o calcanhar, mantendo a frente do pé no lugar. Quando o calcanhar atinge o topo de sua amplitude de movimento, o pé está liberado para voltar para baixo. O objetivo é encurtar simultaneamente o músculo da panturrilha, enquanto o sóleo é naturalmente ativado por seus neurônios motores", explica o pesquisador.

Para quem já frequentou a academia e teve um treino básico de musculação, é praticamente o exercício da panturrilha, mas feito sentado. Inclusive, existem algumas máquinas que permitem realizar essa movimentação com peso.

Se a explicação não foi suficiente, os pesquisadores disponibilizaram um vídeo, em inglês, sobre o estudo. É possível ver exatamente o movimento a partir dos 34 segundos:

Quais são os efeitos da flexão de sóleo no corpo?

"Quando ativado corretamente, o músculo sóleo pode elevar o metabolismo oxidativo local [onde ocorre a queima metabólitos, como açúcar e gorduras, através da quebra do oxigênio] a altos níveis por horas, não apenas minutos, e faz isso usando uma mistura de combustível diferente”, afirma Hamilton.

Nos testes, com 25 voluntários — que poderiam ter uma vida ativa ou sedentária —, os efeitos de todo o corpo das flexões de sóleo incluíram uma melhora de 52% na estabilização das flutuações de glicose no sangue e reduziram a necessidade de insulina em 60%, quando os participantes receberam bebidas com glicose.

Quantas vezes o movimento precisa ser repetido?

A série ideal de repetições ainda é um ponto que está aberto. No experimento, os voluntários passaram horas realizando as flexões de sóleo. Para ser preciso, pelo menos 130 minutos, o que tona o movimento quase impossível de ser adotado na rotina das pessoas. Segundo os autores, esse prolongado tempo é possível pelo fato da atividade ser de baixo impacto e não causar fadiga, mesmo em pessoas sedentárias.

Agora, o próximo desafio da equipe de Hamilton é realizar experimentos com períodos menores de contração e entender se os resultados serão tão bons quantos. Enquanto isso, eventualmente, trabalhar os músculos da panturrilha durante o dia não parece ser um "sacrifício" tão grande, enquanto estamos sentados.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: