Mercado fechará em 2 h 30 min
  • BOVESPA

    123.099,84
    +584,10 (+0,48%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.198,06
    +328,58 (+0,65%)
     
  • PETROLEO CRU

    70,68
    -0,58 (-0,81%)
     
  • OURO

    1.813,90
    -8,30 (-0,46%)
     
  • BTC-USD

    38.252,93
    -1.467,32 (-3,69%)
     
  • CMC Crypto 200

    932,95
    -10,49 (-1,11%)
     
  • S&P500

    4.412,67
    +25,51 (+0,58%)
     
  • DOW JONES

    35.043,59
    +205,43 (+0,59%)
     
  • FTSE

    7.105,72
    +24,00 (+0,34%)
     
  • HANG SENG

    26.194,82
    -40,98 (-0,16%)
     
  • NIKKEI

    27.641,83
    -139,19 (-0,50%)
     
  • NASDAQ

    15.024,25
    +71,50 (+0,48%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1965
    +0,0524 (+0,85%)
     

Executivos de jornal de Hong Kong são acusados de conluio com país estrangeiro

·1 minuto de leitura
Policiais cercam sede do Apple Daily em Hong Kong

Por Jessie Pang e Sara Cheng

HONG KONG (Reuters) - A polícia de Hong Kong acusou o editor-chefe e o executivo-chefe do tabloide pró-democracia Apple Daily nesta sexta-feira de conluio com país estrangeiro, um caso de segurança nacional que causa temor na mídia da cidade.

Na quinta-feira, 500 policiais fizeram uma busca no veículo de notícias, e agentes foram vistos sentados diante de computadores na redação após a prisão de cinco executivos do Apple Daily ao amanhecer devido à suspeita de que dezenas de artigos violaram a nova lei de segurança de Hong Kong.

A polícia disse que acusou cinco deles nesta sexta-feira. Dois deles foram identificados pelo Apple Daily como o editor-chefe, Ryan Law, e o executivo-chefe, Cheung Kim-hung. Os outros três, o chefe de operações, Chow Tat-kuen, o vice-diretor-chefe, Chan Puiman, e o editor executivo, Cheung Chi-wai, continuam sob investigação.

A polícia ainda disse que processará três empresas relacionadas ao Apple Daily pelo mesmo crime depois de congelar o equivalente a 2,32 milhões de dólares em suas contas.

As prisões provocam mais alarme em relação à liberdade de imprensa em Hong Kong, e são criticadas por governos ocidentais, grupos internacionais de direitos humanos e associações de imprensa.

O principal porta-voz de direitos humanos da Organização das Nações Unidas (ONU), Rupert Colville, disse à Reuters nesta sexta-feira que a operação "envia uma nova mensagem arrepiante sobre a liberdade de imprensa".

Muitos apoiadores da democracia compraram cópias do Apple Daily nesta sexta-feira para protestar contra a operação.

(Por Jessie Pang, Sara Cheng, Sharon Abratique, Twinnie Siu, Joyce Zhou e Donny Kwok)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos