Mercado fechará em 6 h 17 min
  • BOVESPA

    98.069,14
    -472,81 (-0,48%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.524,45
    -537,16 (-1,12%)
     
  • PETROLEO CRU

    108,56
    +2,80 (+2,65%)
     
  • OURO

    1.794,50
    -12,80 (-0,71%)
     
  • BTC-USD

    19.278,53
    +200,27 (+1,05%)
     
  • CMC Crypto 200

    414,55
    -5,58 (-1,33%)
     
  • S&P500

    3.792,81
    +7,43 (+0,20%)
     
  • DOW JONES

    30.838,20
    +62,77 (+0,20%)
     
  • FTSE

    7.171,41
    +2,13 (+0,03%)
     
  • HANG SENG

    21.859,79
    -137,10 (-0,62%)
     
  • NIKKEI

    25.935,62
    -457,42 (-1,73%)
     
  • NASDAQ

    11.506,25
    -23,25 (-0,20%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5348
    +0,0292 (+0,53%)
     

Executivo da Mastercard diz o que falta para as criptomoedas emplacarem

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Harold Bossé, vice-presidente de desenvolvimento e inovação de novos produtos da Mastercard, falou sobre seu otimismo em relação às criptomoedas em um evento online, para a plataforma Avalanche, nesta terça-feira (24). Ele explicou que atualmente existem milhões de indivíduos utilizando ativos digitais em todo o mundo, e a adoção em massa da tecnologia blockchain e à moedas virtuais acontecerá mais cedo ou mais tarde.

Segundo Bossé, adotantes iniciais e novos fazem parte do mercado hoje, mas uma mudança para centros de massa será um fator crucial para as instituições financeiras entrarem no espaço. O executivo também explicou que a falta de conhecimento, custo e preocupações em relação às leis que envolvem o setor são os desafios que impedem as grandes corporações de entrar no setor.

Bossé comparou o momento atual do mercado de criptomoedas com o início da internet, “Pense no advento da internet; ninguém estava pensando que a Amazon poderia ser um conceito — você precisa da internet para a Amazon funcionar”, continuou: “Estamos na mesma situação: como transformamos a vida das pessoas e entramos na demografia ou grupos de pessoas que realmente não pensam em blockchain primeiro, mas pensam em seus problemas de negócios?”

Para ele, "ninguém usará criptomoedas a menos que tenha certeza absoluta de que esse dinheiro é um bom dinheiro”. Em sua opinião, os ativos digitais “têm que se tornar invisíveis” para realmente se tornarem populares. No seu entendimento, as criptomoedas precisam se tornar uma engrenagem funcionando “invisível” no sistema financeiro, para, de fato, haver uma adoção em massa.

Mastercard já faz transações com criptomedas (Imagem: Reprodução/Pexels - RODNAE Productions)
Mastercard já faz transações com criptomedas (Imagem: Reprodução/Pexels - RODNAE Productions)

“Tem que se tornar invisível. Eu continuo dizendo isso e pareço um disco quebrado, mas tem que desaparecer em segundo plano para usuários que não se importam – honestamente, minha mãe não se importa se é [finanças centralizadas] ou DeFi.”

Mastercard está de olho no mercado de criptomoedas

Desde o ano passado a MasterCard tem demonstrado uma crescente interesse pelo mercado de criptomoeda. No dia 30 de setembro do ano passado, o vice-presidente da Mastercard na América Latina e Caribe, Walter Pimenta, conversou com a imprensa e explicou a visão da empresa sobre o Bitcoin como meio de pagamento.

Ele explicou que inicialmente a Mastercard vai investir no desenvolvimento da tecnologia blockchain, visto que a companhia já trabalha com isso há cerca de cinco anos. Segundo Pimenta, a blockchain terá um grande impacto disruptivo no ramo de pagamentos, vale destacar que a financeira de cartões já detém mais de 100 patentes no setor.

Também no ano passado, no mês de novembro a Mastercard anunciou que empresas que utilizam a rede de cartões da Mastercard poderão vão serviços e soluções relacionados a criptomoedas. Segundo Sherri Haymond, vice-presidente executiva de parcerias digitais da Mastercard, a empresa pretende oferecer soluções de pagamento para possibilitar mais liberdade de escolha, maior valor e impacto todos os dias.

“Com base em nossa abordagem, não apenas capacitaremos nossos parceiros para oferecer uma combinação dinâmica de opções de ativos digitais, mas para fornecer experiências de consumo diferenciadas e relevantes”, destaca.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos