Mercado abrirá em 9 h 48 min
  • BOVESPA

    118.328,99
    -1.317,01 (-1,10%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.810,21
    -315,49 (-0,70%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,67
    -0,46 (-0,87%)
     
  • OURO

    1.864,60
    -1,30 (-0,07%)
     
  • BTC-USD

    29.901,08
    +87,04 (+0,29%)
     
  • CMC Crypto 200

    591,51
    -88,39 (-13,00%)
     
  • S&P500

    3.853,07
    +1,22 (+0,03%)
     
  • DOW JONES

    31.176,01
    -12,39 (-0,04%)
     
  • FTSE

    6.715,42
    -24,97 (-0,37%)
     
  • HANG SENG

    29.825,78
    -101,98 (-0,34%)
     
  • NIKKEI

    28.640,35
    -116,51 (-0,41%)
     
  • NASDAQ

    13.369,25
    -26,25 (-0,20%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5104
    +0,0020 (+0,03%)
     

Executivo britânico ganha em três dias o mesmo que funcionário em um ano (estudo)

·2 minuto de leitura
Um alto executivo no Reino Unido teria recebido nesta quarta-feira, em apenas três dias úteis de 2021, tanto quanto um funcionário médio ganha em um ano, de acordo com um estudo do instituto High Pay Centre, que confirma as desigualdades de receita no país

Um alto executivo no Reino Unido teria recebido nesta quarta-feira, em apenas três dias úteis de 2021, tanto quanto um funcionário médio ganha em um ano, de acordo com um estudo do instituto High Pay Centre, que confirma as desigualdades de renda no país.

O diretor executivo de um grupo pertencente ao índice seletivo FTSE-100, da Bolsa de Londres, recebe 120 vezes o salário médio, revelou o centro de estudos em comunicado. Com isso, nesta quarta-feira, teria recebido o equivalente ao salário anual médio do país.

O High Pay Centre examinou os relatórios das empresas e calculou que um alto executivo do FTSE-100 recebeu 3,46 milhões de libras em 2019, contra 31.461 libras de média para um assalariado, de acordo com números do Escritório de Estatísticas Nacionais (ONS).

O estudo mostra que a remuneração do alto escalão de patrões se manteve estável, enquanto a dos empregados aumentou, o que significa que os grandes chefes têm que trabalhar agora 34 horas para ganhar tanto quanto o salário anual médio dos trabalhadores. No ano passado, eram 33 horas.

O impacto da pandemia na remuneração dos executivos ainda não é totalmente conhecido, lembrou o centro de estudos, por isso não comenta as consequências nas desigualdades salariais.

"O salário dos grandes chefes é 120 vezes maior que o do trabalhador médio no Reino Unido. As estimativas sugerem que era 50 vezes no início do milênio ou 20 vezes no início dos anos 1980", diz Luke Hildyard, diretor da High Pay Centre.

Hildyard explica esse aumento pelo papel crescente do setor financeiro na economia britânica, a terceirização de atividades menos remuneradas e o declínio da filiação sindical.

A associação britânica de gestores de ativos Investment Association reagiu ao relatório observando que os investidores esperam moderação dos líderes. "Nossos membros pedem às empresas que garantam que a remuneração dos diretores executivos seja proporcional", disse Andrew Ninian.

jbo-acc/age/am/lb