Mercado fechado

Ex-diretor diz que Facebook pode causar ‘guerra civil’

Marcus Couto
·2 minutos de leitura
Facebook na mira de organizações civis contra o espalhamento de discurso de ódio. (Foto: AP Photo/Bullit Marquez)
Facebook na mira de organizações civis contra o espalhamento de discurso de ódio. (Foto: AP Photo/Bullit Marquez)

O ex-diretor de monetização do Facebook Tim Kendall testemunhou para o governo dos Estados Unidos sobre o que ele descreveu como práticas de negócios nocivas para os usuários da maior rede social do mundo. Kendall comparou as táticas usadas pelo Facebook às da indústria do tabaco.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Finanças no Google News

“Nós trabalhamos para tornar o nosso produto viciante”, disse Kendall. Segundo o ex-diretor, que ajudou a criar o modelo de negócios da empresa, baseado em publicidade, o Facebook projetou algoritmos que facilitam a propagação de notícias falsas.

Leia também

“Nós buscamos obter a maior quantidade possível de atenção, e depois transformá-la em lucros sem precedentes na história”, disse.

Na opinião de Kendall, o Facebook colabora com uma “crise de saúde mental”, ao estimular a divisão entre as pessoas. No pior dos cenários, segundo o ex-diretor, essa divisão pode levar a uma “guerra civil”.

“Esses algoritmos provocaram o pior em nós. Eles literalmente reformataram nossos cérebros de forma que nos desconectamos da realidade e mergulhamos no tribalismo.” As informações são do site Business Insider.

“Os serviços de mídias sociais que eu e outros criaram nos últimos 15 anos serviram para separar as pessoas a uma velocidade e intensidade alarmantes”, disse Kendall. “No mínimo, isso erodiu nossa compreensão coletiva. No pior dos casos, eu temo que estejamos caminhando rumo a uma guerra civil.”

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos

Siga o Yahoo Finanças no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube